Você está em:
Arquidiocese de Belo Horizonte
  • 20 de outubro, 4ª feira da 29ª Semana do Tempo Comum

    Baixar áudio
    - Hoje é dia 20 de outubro, 4ª feira da 29ª Semana do Tempo Comum

    - Nesse dia somos chamados a prontidão e a responsabilidade em construir o Reino de Deus, que é de partilha e de serviço, características daquele que segue o Messias Jesus, o Filho de Deus. No evangelho de hoje a chegada inesperada do patrão ou sua demora estão relacionadas a vinda do Senhor. Assim, o Senhor nos pede uma espera confiante, marcada pela perseverança em nosso seguimento, uma espera vigilante e amorosa de quem anseia pela manifestação do Reino de Deus. Peça ao Senhor, nesse momento, a graça da vigilância para ouvir os seus apelos e a prontidão em servir.

    -Escuta o Evangelho segundo Lucas, capítulo 12, versículos de 39 a 48:

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Ficai certos, se o dono da casa
    soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. Vós também ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes’. Então Pedro disse: ‘Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?’ E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis. Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!

    - Em nossas dificuldades e tentações somos convidados a não desistir, mas sermos fiéis, vigilantes, a mantermo-nos em prontidão, e confiantes nos ensinamentos de Jesus. A prontidão é uma atitude cristã e a vigilância não deve ser penosa, ou ser vista como uma obrigação, mas é expressão do amor daquele que espera. Uma espera confiante, porém, aberta ao imprevisível, pois não sabemos exatamente quando o Senhor virá, mas sua vinda é certa! Esse senhor é Jesus que veio para revelar o projeto salvífico do Pai e entregou a sua vida por fidelidade a vontade de Deus. Peça ao Senhor a graça de viver a missão como Batizados, testemunhando seu amor.

    - O que significa acreditar em Jesus Cristo e na promessa de sua vinda? Quais sentimentos e atitudes causam resistência à fé? Qual tipo de “administrador” ou “administradora” eu sou? Aquele que espera o senhor chegar com responsabilidade, prontidão, vigilância, aquele que serve, ou aquele que está voltado para seus próprios interesses?

    -Com o coração agradecidos reze com o salmista 118:

    Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!
    Seguindo vossa lei me rejubilo,
    muito mais do que em todas as riquezas.

    Minha alegria é a vossa Aliança,
    meus conselheiros são os vossos mandamentos.

    A lei de vossa boca, para mim,
    vale mais do que milhões em ouro e prata

    Como é doce ao paladar vossa palavra,
    muito mais doce do que o mel na minha boca!

    Vossa palavra é minha herança para sempre,
    porque ela é que me alegra o coração!

    - Termina tua oração agradecendo a Deus por ter enviado o Messias Jesus, para nos ensinar como humanizar nossas relações. Recorde, nesse momento, as pessoas que foram exemplos de fé e perseverança em sua vida e em sua caminhada espiritual.

    - Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era o princípio, agora e sempre. Amém!