Você está em:

Solidariedade e defesa do meio ambiente: dom Joaquim Mol planta muda de ipê na PUC Minas

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte dom Joaquim Mol, reitor da PUC Minas, plantou muda de ipê branco no campus Coração Eucarístico da Universidade, na manhã desta terça-feira, 3 de novembro. O gesto, em memória dos mortos, especialmente das vítimas da pandemia, integra uma iniciativa vivida pela Igreja em todo o Brasil. No Dia de Finados, as muitas comunidades de fé, de todo o território nacional, plantaram mudas de árvores.

Conforme explicou dom Joaquim Mol, a defesa da Casa Comum também inspirou a ação da Igreja:  “Outra motivação é que atualmente estamos experimentando a pior gestão do meio ambiente da história do país, que só destrói. Destrói o meio ambiente, destrói relações. Esse plantio simbolicamente representa a nossa resistência, o nosso compromisso com o meio ambiente. Nossa vocação é plantar vida”.

Dom Joaquim Mol, no gesto simbólico de plantar uma árvore, estava acompanhado de funcionários da PUC Minas. O Reitor, ao lembrar as mais de 160 mil vítimas da Covid-19 no Brasil, sublinhou que o País foi o que menos tomou providências adequadas contra a pandemia, do ponto de vista governamental. “O que fez com que pessoas da área de saúde assumissem intensamente, corajosamente, quase que sozinhos, sem o apoio necessário, que se desdobrassem para cuidar da vida e amenizar todo o impacto causado por essa pandemia. Este ipê branco, de uma beleza singular, lembrará tantas pessoas que partiram e, além delas, aquelas que ficaram com sua profunda dor”, disse dom Mol, acrescentando que o plantio tem outro significado também: “É para dizer o quanto latifundiários, madeireiros, mineradores, com apoio, sobretudo, do pior Ministério do Meio Ambiente que o Brasil já teve, enquanto eles exploram a terra e queimam as florestas, sobretudo na Amazônia, mas também no Mato Grosso, em Minas Gerais e tantos outros lugares, com vistas a auferir lucro da extração da camada verde, da camada da  vida,  não só da floresta, mas da nossa vida, do ar puro, plantar essa árvore significa resistir às queimadas, à destruição. Enquanto alguns irresponsavelmente destroem, nós plantamos. Essa resistência é para, justamente, sinalizar o nosso compromisso com o meio ambiente”. Esse duplo sentido, lembrou Dom Mol, foi dado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que realizou a campanha pelo plantio de árvores em todo o País.

O Bispo Auxiliar e Reitor da PUC lembrou que cada unidade e campus da Universidade recebeu mudas de ipês brancos. Quando as árvores estiverem maiores, receberão placas que farão referência à memória das vítimas da pandemia e à necessidade da preservação das árvores, das florestas, da vida.