Você está em:

“Que os nossos corações se abram ao diálogo”-afirma dom Walmor na abertura do I Congresso Brasileiro de Teologia Pastoral

O arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, e o reitor da PUC Minas, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Joaquim Mol, participaram da abertura do I Congresso Brasileiro de Teologia Pastoral, ao lado do reitor da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia – FAJE, padre Elton Ribeiro, do reitor  do Instituto Santo Tomás de Aquino – ISTA, Frei João Júnior, e do teólogo padre Agenor Brighenti.

O evento, realizado na modalidade virtual, no período de 3 a 6 de maio de 2021, foi organizado pela PUC Minas, FAJE, ISTA, Arquidiocese de Belo Horizonte e Centro Loyola de Fé e Cultura. “Um Congresso com uma grande importância no caminho missionário de nossa Igreja”: definiu dom Walmor.

“Precisamos de lúcidas reflexões, assertivas indicações, configurando respostas para o caminho missionário da nossa Igreja” – disse o Arcebispo na solenidade de abertura do I Congresso Brasileiro de Teologia Pastoral

Dom Walmor ressaltou “a esperançosa alegria de um Congresso como esse, pensando o tempo que nós estamos vivendo, um tempo de muitas obscuridades, de muitos fundamentalismos, de muitas coisas na contramão dentro da nossa própria Igreja, para não falar no coração da sociedade”. O arcebispo de Belo Horizonte disse que “precisamos de lúcidas reflexões, assertivas indicações, configurando respostas para o caminho missionário da nossa Igreja”.

Dom Walmor destacou “a importância do cristianismo para um mundo que precisa se recompor e para a sociedade brasileira que precisa de uma reconstrução diante de tantos desmantelamentos no mundo da política, da economia, com a gravíssima crise sanitária da Covid-19 e outros tantos descompassos”. Diante dessa realidade, o Congresso deve ser uma oportunidade de retomada de entendimentos clarividentes e de sermos no coração do mundo uma Igreja mais missionária em diálogo com a sociedade pluralista, insistiu Dom Walmor. O Arcebispo vê o Congresso como sinal de grande esperança para a Igreja do Brasil. “Os nossos corações se abram ao diálogo, que é tarefa da teologia pastoral”.

O reitor da PUC Minas, dom Joaquim Mol, fez um convite a mergulhar mais profundo na teologia que ilumina a pastoral. “Toda ação da Igreja precisa ser uma ação pastoral, ou seja, ao modo do Bom Pastor, Jesus”, afirmou o bispo auxiliar de Belo Horizonte. Dom Mol destacou a necessidade da Teologia ser mais pastoral.

O reitor da FAJE, padre Elton Ribeiro, ressaltou que a pastoral está no coração da Igreja, a pastoral está sempre acontecendo. “Estamos diante de um Congresso que nos ajuda a refletir, a pensar e a sonhar”, afirmou, ao fazer referência ao discernimento, uma ideia presente no tema do Congresso –  Discernir a pastoral em tempos de crise: realidade, desafios, tarefas: “Estamos vivendo um tempo de discernimento, que é sempre um jogo entre a nossa responsabilidade e a vontade de Deus”.

O Frei João Júnior, reitor do ISTA, destacou que em um tempo em que as crises não têm faltado, atingindo até mesmo a prática pastoral, é fundamental que “não nos falte o discernimento, essa arte delicada de encontrar nos entremeios das encruzilhadas da realidade para onde ela nos inspira, para onde ela nos aponta”.

“A Teologia é um serviço à Igreja, e a Igreja existe para evangelizar” – afirmou o teólogo Agenor Brighenti. Segundo ele, “a Teologia precisa ser uma Teologia pastoral” – e acrescentou – “o lugar da Teologia não é a academia, o lugar da Teologia são os espaços, os processos eclesiais”, advertindo sobre o risco de uma Teologia sem o chão eclesial, que no pontificado de Francisco tem assumido o desafio de ser um chão nas periferias.