Você está em:

“O caminho sinodal de Francisco”: simpósio da PUC Minas reflete sobre a sinodalidade

O simpósio “Uma Igreja Sinodal para o novo milênio”, organizado pelo Instituto de Filosofia e Teologia da PUC Minas, em parceria com o Anima PUC Minas, realizado no último dia 12 de maio, abordou os desafios, esperanças, participações e caminhos da sinodalidade em torno do tema “O caminho sinodal de Francisco.” 

Refletindo sobre o Sínodo proposto pelo Papa Francisco, o  coordenador do curso de Teologia e chefe do Departamento de Teologia da PUC Minas, padre André Erick, realizou a abertura do simpósio. Na sequência, o mediador do Encontro, frei Luiz Antônio Pinheiro, professor da PUC Minas e prior da Província Agostiniana Nossa Senhora da Consolação do Brasil, apresentou um contexto histórico da experiência sinodal, desde as origens, entre os séculos II e III, passando pelos concílios modernos e contemporâneos até a experiência atual com o Papa Francisco.

Dom Luis de San Martin, religioso agostiniano e subsecretário do Sínodo dos bispos, apresentou interessante fundamentação teológica sobre o conceito da sinodalidade, destacando pontos para uma espiritualidade sinodal, além de uma síntese de textos básicos para a compreensão do processo sinodal.

 

O papel das mulheres na Igreja sinodal

A subsecretária do secretariado geral para o Sínodo dos Bispos, Irmã Nathalie Becquart, XMCJ, religiosa da Congregação das Xaverianas, falou sobre o protagonismo feminino, abordando o tema “Mulher e sinodalidade: o papel das mulheres na Igreja sinodal, um desafio importante para o nosso tempo”.  Destacou que, olhando para o Vaticano e para outras instâncias, como as dioceses e as comunidades, vemos muitas mulheres, protagonizando papeis fundamentais:“mulheres e jovens são a força motriz para favorecer a sinodalidade”, destacou. Irmã Nathalie também citou o trabalho da Igreja em defesa das mulheres no mundo, citando a  Cáritas e o Thalitha Kum e outros trabalhos que realizados por religiosos e religiosas, também no sentido de resgatar a dignidade das mulheres.

Encerrando o simpósio, padre Evandro Campos, diretor do Instituto de Filosofia e Teologia Dom João Resende Costa, da PUC Minas, agradeceu pelo rico debate, destacando a importância da participação de cada um de nós no processo sinodal, que faz despertar a responsabilidade, o compromisso, a esperança de fazer o caminho. “É importante alimentar um coração sinodal para que tenhamos atitudes sinodais”, reforçou padre Evandro Campos.

Acompanhe o Seminário para ampliar a compreensão do caminho sinodal proposto pelo Papa Francisco: