Você está em:

O amor cuida e protege: acolhimento às vítimas de violência doméstica

  • As comunidades de fé da Arquidiocese de Belo Horizonte se organizam para acolher vítimas de violência doméstica. Uma iniciativa que ocorre no contexto da ação Solidariedade em Rede, dedicada ao amparo das pessoas que mais sofrem neste tempo de pandemia. Apresentada no domingo de Páscoa, em abril, a ação Solidariedade em Rede oferece, a partir da rede de paróquias, na Capital Mineira e em sua Região Metropolitana, ajuda emergencial aos que sofrem com os impactos sociais e econômicos provocados pela pandemia.  E foi a partir do acolhimento às pessoas em vilas e favelas que a equipe da Providens – Ação Social Arquidiocesana – identificou aumento dos relatos sobre violência doméstica.

Considerando que muitas pessoas procuram as igrejas para partilhar suas dores e dificuldades, a Arquidiocese de Belo Horizonte, a partir de sua rede de comunidades de fé, com a articulação de seu Vicariato Episcopal para Ação Social, Política e Ambiental, inicia campanha para encorajar as vítimas ou testemunhas a denunciarem situações de violência. As comunidades paroquiais poderão contribuir com orientações a respeito do Disque 100, canal de denúncias que garante anonimato às vítimas e às testemunhas.

Além do acolhimento fraterno, de momentos formativos – a serem oferecidos na modalidade telepresencial, com a contribuição de especialistas sobre violência doméstica -, a Arquidiocese de Belo Horizonte inicia campanha de comunicação, com publicações nas redes sociais, sobre a importância do amor na convivência familiar.