Você está em:

Ritos e Preces: importantes reflexões sobre liturgia

A partir desta semana, nosso site publica uma nova coluna: “Sobre Ritos e Preces”, que traz, semanalmente, artigos sobre liturgia desenvolvidos pelo padre Márcio Pimentel, que é teólogo liturgista e membro do Secretariado Arquidiocesano de Liturgia da Arquidiocese de BH e da Celebra – Rede de Animação Litúrgica.

De acordo com o padre, o espaço será oportunidade de diálogo entre os integrantes da Pastoral Litúrgica de cada paróquia e os fiéis. “Em 2021, vivenciamos a experiência do Fórum Arquidiocesano de Liturgia, onde tivemos a oportunidade de ter contato direto com aqueles que lidam com a liturgia nas comunidades e escutamos os desafios enfrentados no dia a dia. Por isso, a ideia de transformar esta coluna em espaço de diálogo com os membros da pastoral litúrgica e fiéis, abordando aspectos da vida litúrgica apresentados por eles”, destacou.

A coluna “Sobre Ritos e Preces” será semanal, publicada no site da Arquidiocese de BH e nas redes sociais.

Para contribuir com a coluna, encaminhe dúvidas e sugestões pelo email:querosabermais.sobreritosepreces@arquidiocesebh.org.br

Assista à entrevista com o padre Márcio Pimentel e leia na íntegra o primeiro artigo:

Sobre Ritos e Preces

           Ano novo, vida nova, dizem. Então, que tal abrirmos 2022 com uma coluna novinha sobre Liturgia?

Nosso artigo semanal no espaço “Sobre Ritos e Preces” quer ser uma maneira para dialogar de modo qualificado com as inúmeras comunidades de nossa Arquidiocese que, aqui e ali se deparam com questões significativas relativas às suas celebrações. Hoje em dia, é muito rápido e fácil o acesso a publicações sobre o assunto, sobretudo mediante as mídias sociais. No entanto, nem sempre – ou quase nunca (!) – o tratamento mostra-se adequado. Sendo a Liturgia, do ponto de vista teológico, a própria vida filial de Cristo em sua forma ritual, isto é, apta à experiência de seus discípulos e discípulas, não se pode reduzi-la ao viés canônico ou rubricístico, por exemplo. O fenômeno celebrativo deve ser tratado como ele mesmo pede: como uma ação simbólico-sacramental originária, isto é, como uma ação que gera identidade, vida e saúde do povo de Deus que segue Jesus.

A Liturgia não está nos livros. Embora os rituais conservem os “Ordines”, isto é, o programa a ser realizado, o modelo da prática diremos, a Liturgia só pode ser encontrada no corpo eclesial enquanto este age. Como já afirmara o Papa Francisco falando da experiência conjugal e familiar, a realidade supera a ideia, o conceito, a prescrição. Isso se aplica de modo muito apropriado à Liturgia pós-conciliar. Não basta, portanto, “dizer o que está de preto e fazer o que está de vermelho” para bem celebrar, segundo a ótica do Concílio Vaticano II. Seria por demais redutivo, sobretudo porque este tipo de raciocínio desconsidera o sujeito-que-celebra, isto é, a assembleia, devidamente presidida e servida por seus ministros ordenados e não-ordenados.

Há um arbítrio responsável cujo cultivo os próprios livros da reforma litúrgica solicitam. Guiar a inteligência do povo de Deus em matéria litúrgica é um trabalho que deve ser feito por pessoas competentes na área, a quem o Bispo titular de uma Igreja Local (Diocese) confiou o serviço. Uma adequada pastoral litúrgica se insere neste dinamismo sinodal. Com esta atribuição e finalidade está o Secretariado Arquidiocesano de Liturgia em nossa Igreja, que vem desenvolvendo há um ano um processo de aproximação mais estreito com o Fórum Arquidiocesano de Liturgia, que se mostrou muito útil à vida comunitária.

Pois, esta coluna será um dos nossos “pontos de encontro”. Queremos conversar com vocês, membros das Equipes de Liturgia, ministros e ministras ordenados, instituídos ou a quem foi confiado um serviço ritual específico (leitores, cantores, salmistas, acólitos, sacristãos etc.). Por isso, escrevam para nós pelo e-mail: querosabermais.sobreritosepreces@arquidiocesebh.org.br  porque esperamos tecer um agradável diálogo com vocês, propondo-nos ajudá-los, ajudá-las naquilo que nos compete. Nossa coluna dependerá da contribuição de vocês!!! Até a semana que vem.

Pe. Márcio Pimentel presbítero, teólogo liturgista
e membro do Secretariado Arquidiocesano de Liturgia

e da Celebra – Rede de Animação Litúrgica