Você está em:

Jesus sempre atento à realidade de seu tempo. E nós? – artigo de Neuza Silveira

Jesus sempre atento à realidade de seu tempo – E nós? Estamos percorrendo o caminho da fé, atentos à nossa realidade?

Jesus e os Apóstolos colocavam Deus e o mundo em estreita relação. O que podemos entender com isso? Jesus estava sempre atento a tudo o que acontecia ao seu redor. Ele estava bem por dentro da vida. Viveu profundamente nossa história e nela anunciou o Reino. Olhando nas páginas dos Evangelhos percebemos como ele está sempre a afirmar que ninguém pode ir até ele e “com ele” se não for atraído pelo Pai. Suas palavras nos demonstram que “ir a Jesus, encontrá-lo, conhecê-lo e caminhar com ele é um dom” que Deus nos concede. Podemos desenvolver esse dom e continuar o caminho de Jesus. Assim diz o Papa Francisco: “Devemos continuar o caminho de Jesus, prosseguir sempre, sem nos desencorajar”.

Como percorrer esse caminho?
Se caminharmos um pouquinho com ele podemos perceber que, mesmo nas multidões, no meio dos conflitos, Jesus percebia e atendia àqueles que dele se aproximavam e desejavam sua atenção. Uma realidade muito importante, que se concretiza a partir do jeito de ser do Mestre é que ele não deixava nada para depois. Diante das contradições e injustiças, Cristo toma posição. Vejamos:
1. Jesus, no caminho para Jerusalém, quando se aproximava de Jericó, teve um encontro. Alguém que grita por ele. Que quer se aproximar. Os apóstolos tentam impedir, mas Jesus escuta, pára e dá atenção àquele que o chama. É o cego de Jericó que quer ver. E Jesus realiza essa ação.

2. Jesus, continuando o seu caminho e, tendo entrado em Jericó, atravessava a cidade. Um morador chamado Zaqueu, rico e chefe dos publicanos, queria ver quem era Jesus. E por isso corre e sobe em uma árvore para vê-lo passar. Aqui, também, é Jesus quem toma a iniciativa ao ver a atitude de Zaqueu. É Jesus quem o vê primeiro, fala com ele e se oferece para ir almoçar em sua casa. Esse acontecimento deixa os seus discípulos sem nada compreender, mas Jesus sabia que seria muito importante voltar sua atenção para Zaqueu. Assim como o cego de Jericó e Zaqueu, precisamos estar sempre no caminho, que é Jesus. Lembremo-nos do Salmo que diz: “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.” (Sl. 119,105). Sabendo que é ele que nos guia e colocando-nos no seu caminho, cumprindo a sua Palavra, estaremos trilhando pelo verdadeiro caminho, que muitas vezes não é fácil, tem espinhos, muitas pedras e é estreito. Sempre que acharmos que não aguentamos mais, Jesus nos estende a mão, levanta-nos, abraça-nos e ajuda-nos a caminhar.

O importante é acreditar, crer verdadeiramente que Jesus está sempre do nosso lado e caminha conosco. A fé é um dom que devemos pedir sempre para Deus. A fé remove montanhas. Transforma tudo aquilo que, humanamente falando, parece impossível.

Nós, cristãos, temos uma visão própria da realidade humana, que nos vem de Jesus Cristo porque é nele que se revela a dimensão mais profunda do ser humano. Então, deixemo-nos ser levados por ele. E, mais uma vez, como diz o Papa Francisco: “a nossa fé é viver a alegria que ela nos proporciona, a alegria de ter encontrado Jesus, a alegria que só Jesus nos dá”.
Estejamos sempre atentos à nossa realidade. Nos acontecimentos e fatos da vida nós vamos realizando o nosso agir, sempre olhando para o agir de Jesus. Ele é o nosso modelo. Assim como ele, devemos nos aproximar e oferecer ajuda ao irmão. Peçamos ao Senhor que nos faça crescer nesta fé que nos torna alegres. Esta fé que começa sempre com o encontro com Jesus e prossegue sempre na vida com os pequenos encontros cotidianos, com Jesus.

Neuza Silveira de Souza. Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano Bíblico-catequético de Belo Horizonte.