Você está em:

Instituição do Ministério do Catequista: dom Walmor partilha a sua alegria e dedica homenagem a cada catequista

O arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo agradeceu a Deus e destacou a lucidez do Papa Francisco pela instituição do Ministério de Catequista. “O Espírito Santo sopra e renova a Igreja, a partir da lucidez de nosso amado Papa Francisco. Louvemos a Deus, em gratidão, por este importante acontecimento: a instituição do Ministério do Catequista no coração da Igreja. Trata-se de merecido reconhecimento e também de um dom para o Povo de Deus.”

A seguir, a mensagem completa:

A cada um que é catequista, educador da fé, muita saúde e muita paz!

O Espírito Santo sopra e renova a Igreja, a partir da lucidez de nosso amado Papa Francisco. Louvemos a Deus, em gratidão, por este importante acontecimento: a instituição do Ministério do Catequista no coração da Igreja. Trata-se de merecido reconhecimento e também de um dom para o Povo de Deus.

Reconhecimento porque cada catequista é protagonista na vida da comunidade de fé, no coração da Igreja. A catequese é responsável, conforme bem diz o Papa Francisco, pelo “primeiro anúncio”, que alcança aqueles ainda distantes da mensagem salvífica de Jesus. A catequese é base para conversões, fundamento para a caminhada na fé. Por isso, o catequista, principalmente neste contexto em que tantas pessoas precisam reencontrar a alegria de crer, é fundamental.

A instituição do Ministério do Catequista também é dom, porque fortalece ainda mais o protagonismo de leigos e leigas na vida da Igreja. É verdadeiro sopro do Espírito Santo para fortalecer sempre mais as nossas comunidades eclesiais missionárias, com a presença de homens e mulheres vocacionados – educadores na fé.

Ser catequista é assumir a responsabilidade de educar para a vivência da fé. E a fé dá sentido à vida, é indispensável para o bem viver, promove a saúde e as mudanças necessárias para termos um mundo melhor – mais justo, solidário e fraterno.

Somos uma Igreja ministerial. Isso significa que assumimos responsabilidades não para exercer autoridade, menos ainda para buscar reconhecimento. Na Igreja, somos todos servidores, cada um no exercício de sua vocação. O Papa Francisco, com a sua decisão de instituir o Ministério do Catequista, mais uma vez lembra toda a Igreja: os evangelizadores leigos são essenciais na ação evangelizadora. Com gratidão ao Santo Padre, dóceis à ação do Espírito Santo de Deus, acolhamos todos, com alegria, esta especial dádiva: a criação do Ministério do Catequista.

Rezo por nossos catequistas, educadores na fé. Rezo por você, que acompanha esta live.

Unido ao coração de todos, suplico as bênçãos de Deus para a vida de cada um.

Fraterno abraço, com muito apreço.