Você está em:

Festa de Nossa Senhora da Saúde é oficialmente reconhecida como patrimônio cultural imaterial de Lagoa Santa

A Festa de Nossa Senhora da Saúde, uma das mais importantes manifestações religiosas e populares de Lagoa Santa (MG), foi reconhecida oficialmente patrimônio cultural imaterial da cidade, em cerimônia com a presença do arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, e do administrador paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, padre Ednei Almeida Costa.  O título foi oficializado por meio de decreto da Prefeitura de Lagoa Santa, considerando a legislação municipal nº. 2.999/2010, que garante o registro de bens culturais de natureza imaterial no município.

O registro, conforme destaca a prefeitura,  é um passo importante para a valorização dos bens e patrimônios da cidade, em razão da grande importância e expressividade da devoção popular a Nossa Senhora da Saúde, Padroeira do município, e ser a festa, de extrema relevância histórica e cultural, o maior evento religioso da região.

Dom Walmor ressaltou que a iniciativa é da mais alta relevância,  “reconhecendo nesses quase 300 anos de Jubileu o tecido da cultura, da religiosidade, do humanismo, através de uma festa na devoção a Nossa Senhora, em seu importantíssimo título de Nossa Senhora da Saúde. Isso significa  portanto, reconhecer que essa festa, para além da alegria,  é na verdade uma escola  em que precisamos nos matricular, porque a saúde é dom precioso e dele todos nós precisamos.  Para se ter esse precioso dom precisamos aprender novos hábitos, adotar um novo estilo de vida. Por isso mesmo, esse passo significa muito para Lagoa Santa, para toda pessoa de boa vontade, e na força da devoção a Nossa Senhora. Deus nos ajude fazer que cresça, ainda mais, o Jubileu, e que ele  possa ser a escola tão importante de que tanto precisamos neste contexto, neste mundo, nesta hora muito desafiadora da sociedade brasileira e para a humanidade”.

O padre Ednei  destacou que a oficialização da  Festa de Nossa Senhora da Saúde  como patrimônio cultural imaterial de Lagoa Santa significa muito para as  comunidades de fé da paróquia, especialmente no momento atual em que as homenagens a Nossa Senhora da Saúde precisaram obedecer aos critérios necessários de isolamento social. “O Jubileu deste ano fez com que as pessoas redescobrissem o sentido mais bonito do evento: a unidade e a partilha. Em função de todos os desafios, o decreto, que enche de alegria o meu coração de pastor, marca um reconhecimento, uma gratidão a todo o povo de nossa amada Lagoa Santa, a Deus, à Nossa Senhora da Saúde e a tantos que, na tradição, participam sempre da festa conosco”.