Você está em:

Em Aparecida, dom Walmor lembra sobre a missão da Igreja: anunciar o reino de Deus

A 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi avaliada pelo arcebispo de Belo Horizonte e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo como uma  assembleia de grande relevância e importância para todos nós.

O presidente da CNBB ressaltou que os bispos do Brasil ficaram três anos e meio sem um encontro presencial em razão da pandemia da Covid-19 e, por isso, esta segunda etapa da 59ª Assembleia ganhou uma importância ainda maior para o episcopado brasileiro. “Voltamos ao Santuário Nacional de Aparecida para nos encontrarmos e vivermos aquilo que é o mais importante na Conferência dos Bispos do Brasil: a comunhão entre nós”, sublinhou  dom Walmor.

Novos documentos

Nos cinco dias de encontro foram refletidos, debatidos, decididos e votados mais de 10 temas relacionados com a evangelização e com a organização da Igreja no Brasil, alguns deles destacados pelo presidente da CNBB durante coletiva de imprensa, nesta sexta-feira, 2 de setembro: a aprovação das atualizações do estatuto da CNBB, a revisão do Missal, o Documento 114 e o itinerário para instituição do Ministério dos Catequistas.”

Sobre a renovação do estatuto, aprovada pela Assembleia, dom Walmor destacou:  “Foi um trabalho relevante para além das letras legislativas, em uma perspectiva de nos colocarmos em condições de sermos uma instituição que congrega todos os bispos a serviço da Igreja e do seu Povo, de maneira moderna, ágil e competente”.

Uma aprovação muito comemorada pelos bispos do Brasil foi a tradução do Missal depois de 18 anos de trabalho: “A tradução do novo missal, que se refere à liturgia, foi uma grande vitória e terá um impacto muito grande em nossas comunidades de fé no que diz respeito às celebrações litúrgicas”, ressaltou o Arcebispo.

Outro destaque importante no que diz respeito às votações na assembleia foi o Documento 114, que estava publicado como estudo e agora será editado como documento pela CNBB, sobre a animação bíblica da pastoral. “Trata-se da experiência importante e bonita de colocar a Palavra de Deus no centro, em todo o lugar”, analisou dom Walmor.

A presença da Igreja no Brasil

Dom Walmor afirmou que a 59ª Assembleia Geral marcou a celebração dos 70 anos da CNBB, uma data importante para revisitar uma história de grande importância para a sociedade brasileira. “A comemoração foi ocasião também para a Igreja olhar a si mesma, revendo o passado, analisando o presente, planejando o futuro e reafirmando sua missão no Brasil”, disse.

Como missão da Igreja, após a 59ª AG CNBB, dom Walmor apontou: “Como Igreja no coração do mundo temos uma missão enorme de anunciar o Reino de Deus e de marcar a nossa sociedade brasileira, em tempos muitos difíceis, com o sabor do Evangelho de Jesus Cristo. Deus seja louvado por este caminho e que Ele nos enriqueça para que nós possamos abrir novos caminhos com as luzes do Evangelho para a vida do povo brasileiro, superando descompassos, desigualdades sociais vergonhosas e, sobretudo, o enfretamento do problema gravíssimo da fome em todo o Brasil. Queremos que tudo aquilo que fizemos, rezamos, discutimos e decidimos se torne uma grande força para a sociedade brasileira no cumprimento da tarefa missionária da Igreja”.

Dom Walmor finalizou sua participação na coletiva ressaltando a importância do respeito a democracia, em um contexto de esperança no seguimento de Jesus Cristo.