Você está em:

Dom Walmor celebra abertura do Jubileu Centenário da Arquidiocese de Belo Horizonte na Catedral Cristo Rei, com ordenação episcopal

O arcebispo de Belo Horizonte e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo preside a abertura do Jubileu  Centenário da Arquidiocese de Belo Horizonte na manhã desta quinta-feira, dia 11 de fevereiro, na Catedral Cristo Rei,  com celebração Eucarística e ordenação episcopal do monsenhor Nivaldo dos Santos Ferreira. Sacerdote da Arquidiocese de Belo Horizonte, monsenhor Nivaldo foi nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese pelo Papa Francisco, em dezembro do ano passado. No mesmo dia, também foi nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte o monsenhor Júlio César Moreira, atualmente padre da Arquidiocese de Brasília. Monsenhor Júlio César será ordenado bispo na Capital Federal, dia 13 de fevereiro, durante Missa celebrada na Catedral Nossa Senhora Aparecida.

Antes da Celebração , o dom Walmor fez o plantio  de um Jequitibá – árvore símbolo do Jubileu Centenário-, gesto partilhado pelos bispos auxiliares, dom Joaquim Mol, dom Geovane Luís da Silva,  dom Vicente Ferreira, monsenhor Nivaldo dos Santos, monsenhor Júlio César – futuros bispos auxiliares – e bispos convidados de diferentes  Arquidiocese e dioceses.

Dom Walmor lembrou que 11 de fevereiro de 2022 remete a 11 de fevereiro de fevereiro de 1921, quando foi criada a Diocese da nova Capital Mineira, antes de ela completar o seu Jubileu de Prata. “E hoje estamos aqui, na Catedral Cristo Rei, coração da Arquidiocese de Belo Horizonte, a Igreja Mãe, para celebrarmos 100 anos . Assim, olhando o passado, com gratidão, fecundar com olhar corajoso e profético rumo ao futuro. Por isso, aqui estamos e começamos este dia com a plantação de um  jequitibá: árvore que simboliza o Jubileu Centenário. E ao plantarmos, queremos reafirmar o compromisso de sermos uma igreja hospitaleira, em saída, próxima, profética, ajudando o mundo à luz dos valores do evangelho , a encontrar um novo rumo, enquanto, como igreja, caminhamos   para o reino definitivo”.

O Arcebispo ressaltou a centralidade do amor de Deus e a importância da espíritualidade nesse momento especial  vivido pela Arquidiocese de Belo Horizonte. “Começamos esse dia com um momento de espiritualidade, porque a nossa força é força espiritual, para dar ao mundo um novo rumo, na alegria da ordenação episcopal de um sacerdote do clero da Arquidiocese de Belo Horizonte, como gesto de maturidade e de fruto  que colhemos. Portanto,  uma grande alegria, num dia em que, com essa nossa radiação de alegre gratidão, convidamos  todos  a  caminharmos no amor de Deus para fazermos da sociedade brasileira, uma sociedade  mais justa e fraterna. Como Igreja  Católica, no coração do mundo, em profunda sintonia com o Papa Francisco, ajudar o mundo  a abrir-se ao amor de Deus”.