Você está em:

Dia Mundial do Migrante e do Refugiado: “o Reino de Deus é a pátria definitiva de toda a humanidade” diz dom Walmor

Em mensagem especialmente dedicada ao 108º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR), celebrado neste domingo, 25 de setembro, o arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo,  nos lembra  que somos todos peregrinos, indistintamente, a caminho do Reino de Deus, a pátria definitiva de toda a humanidade: “devemos reconhecer cada migrante e refugiado como irmão nesta jornada.”

Dom Walmor recordou  a mensagem do Papa Francisco, publicada no dia 9 de maio deste ano , que tem como tema: Construir o futuro com os migrantes e os refugiados. “O Papa sublinha que o Plano Divino é essencialmente inclusivo e coloca no centro os habitantes das periferias existenciais. Entre esses há muitos migrantes e refugiados, deslocados e vítimas do tráfico humano”, reforçou dom Walmor afirmando que os migrantes e refugiados, em fuga de seus países em razão de guerras, conflitos e desastres ambientais, devem ser acolhidos sem discriminação. “Sejamos sempre mais acolhedores para verdadeiramente nos reconhecermos como um só povo, cada um com a sua singularidade, mas todos semelhantes e todos irmãos”, diz o Arcebispo.

Acompanhe a mensagem do nosso arcebispo Dom Walmor sobre o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado

“Construir o futuro com os migrantes e os refugiados”

O tema escolhido pelo Santo Padre para este  108º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR) destaca os compromissos que todos são chamados a assumir para construir um futuro que responda ao projeto de Deus junto aos migrantes e refugiados.

A Igreja celebra o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado desde 1914. Todos os anos, o DMMR é celebrado no último domingo de setembro. É sempre uma ocasião para dedicar tempo e mobilização pelas pessoas vulneráveis que se deslocam, para rezar por elas, e para aumentar a sensibilização acerca das oportunidades proporcionadas pelas migrações.