Você está em:

Conselho Pastoral Arquidiocesano realiza primeiro encontro de 2022

Realizada neste sábado, dia 12, a reunião do Conselho Pastoral foi oportunidade para tratar e partilhar sobre a rica e desafiadora pauta envolvendo o Ano Pastoral, o Caminho Sinodal na Arquidiocese, a Campanha da Fraternidade 2022 e as reflexões sobre o período eleitoral deste ano.

Em comunhão com o momento de oração compartilhado pelo Secretariado Arquidiocesano Liturgia (SAL), a reunião iniciou-se com as partilhas dos  bispos e vigários sobre o Ano Pastoral em suas regiões de referência: as datas de realizações das iniciativas, os desafios e as prioridades no horizonte do “Proclamar a Palavra”.

Oportunidade também para agradecer a mobilização e o empenho das comunidades de fé da Arquidiocese de Belo Horizonte que, mais uma vez, mostrou a força de sua capilaridade e fraternidade com decisiva contribuição nas ações do Solidariedade em Rede, cujos resultados foram determinantes  no apoio e na ajuda às vítimas das fortes chuvas e enchentes, segundo Padre Júlio César Amaral, responsável pelo Vicariato para Ação Social, Política e Ambiental (Veaspam).

Sobre o Caminho Sinodal na Arquidiocese de Belo Horizonte, a equipe executiva apresentou o cronograma com as atividades da escuta (Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão”) iniciado em 17 de outubro de 2021 e a ser concluído em junho de 2022 com o encaminhamento da síntese da Arquidiocese para a CNBB. As peças de comunicação e suas estratégias também foram apresentadas, inclusive um vídeo que convida e motiva as pessoas a participarem do processo de escuta.

A Campanha da Fraternidade e as reflexões sobre as eleições 2022 foram as pautas finais da reunião do Conselho Pastoral. O plano de ação para o lançamento e iniciativas que irão sustentar  a CF 2022 ao longo do ano foram compartilhados com os integrantes do Conselho Pastoral. Ao final desta apresentação, dom Walmor lembrou que a Campanha da Fraternidade é refletida no tempo quaresmal, mas deve prosseguir “derramando um pouco mais do que temos a um número cada vez maior de pessoas.” Destacou que não devemos resumir este tempo somente a uma sequência de eventos, mas criarmos caminhos de sistematização mais constantes em um horizonte de transformação: “Temos uma grande tarefa educativa com muitas urgências para superar os atrasos e os retrocessos e a Igreja pode contribuir de modo mais decisivo.”

Reflexões e indicações sobre as eleições deste ano foram partilhadas juntamente com as ações, a exemplo do curso abordando o planejamento de campanha eleitoral destinado a cristãos humanistas.

A primeira reunião do Conselho Pastoral Arquidiocesano foi encerrada com oração do arcebispo dom Walmor e o agradecimento pelo trabalho dedicado de todos.