Você está em:

Conselho Pastoral Arquidiocesano se dedica ao Sínodo dos Bispos 2023

Representantes de comunidades de fé, pastorais, instituições e instâncias da Arquidiocese de Belo Horizonte que integram o Conselho Pastoral Arquidiocesano se reuniram na manhã deste sábado, de modo telepresencial, para avançar nos trabalhos da fase diocesana do Sínodo dos Bispos 2023, dedicado à sinodalidade na Igreja. O encontro, presidido pelo arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo, começou com a partilha de informações sobre o cronograma da atual fase do Sínodo. O processo de escuta de todo o Povo de Deus, convidado a participar com indicações para o caminho missionário da Igreja, será concluído no dia 10 de fevereiro de 2022. As muitas contribuições formarão uma síntese, que será enviada ao Vicariato Episcopal para Ação Pastoral. O Vicariato fará a redação final do documento que refletirá a participação do Povo de Deus na Arquidiocese de Belo Horizonte na vivência do processo sinodal. Esse documento se unirá às propostas de outras dioceses brasileiras, em trabalho coordenado pela Conferência Nacional  dos Bispos do Brasil (CNBB), que, posteriormente, enviará ao Vaticano as contribuições da Igreja no Brasil.

 

Dom Walmor lembrou que a participação no Sínodo é responsabilidade muito grande. “Oportunidade de ouro que não deve ser desperdiçada, experiência semelhante à vivida no Concílio Vaticano II. Tempo de alegria e esperança.” Por isso, o Arcebispo orientou que o Sínodo não deve ser compreendido apenas como um chamado a opinar, mas possibilidade para madura avaliação sobre as transformações em nosso caminho, “para sempre melhorarmos”.

 

O Arcebispo lembrou que é muito importante a Arquidiocese de Belo Horizonte compreender quem é. “Conhecer mais profundamente o que somos, pois a complexidade da Igreja é tão grande que muitas vezes nos restringimos a aspectos pontuais. A Igreja demanda conhecimento mais aprofundado sobre o seu caminho. Não é o caso de grandes formulações, mas efetivar grandes experiências”.

Padre Joel Maria dos Santos, vigário do Vicariato Episcopal para Ação Pastoral, explicou que as comunidades de fé estão recebendo uma cartilha elaborada pela Arquidiocese de Belo Horizonte. O documento busca auxiliar cada pessoa no processo de participação no Sínodo. Em breve, um formulário será disponibilizado em plataforma digital, permitindo que as contribuições para o caminho sinodal sejam oferecidas a partir dos próprios lares.

 

Em seguida, o próprio Conselho Pastoral Arquidiocesano iniciou a sua participação no Sínodo dos Bispos 2023. Os integrantes do Conselho se dividiram em grupos. Cada equipe foi convidada a responder as seguintes questões: 1) Que experiências da nossa Igreja Particular de Belo Horizonte já revelam que caminhamos em conjunto? 2) Que alegrias, dificuldades e feridas encontramos nesse caminho? A síntese das respostas integrará o documento que está sendo elaborado pelo Vicariato para Ação Pastoral da Arquidiocese de Belo Horizonte.

 

Ao final da reunião,  dom Walmor ofereceu contribuição para o processo de discernimento ao dizer que os mais simples, com um testemunho autêntico de fé, conseguem definir melhor o Reino de Deus do que muitas elaborações conceituais complexas. “Os que testemunham a fé com autenticidade são um sinal do Reino de Deus.”

Sínodo dos Bispos 2023

A 16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, com o tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, convocada pelo Papa Francisco, será realizada em 2023. O Papa  tem afirmado que o “caminho da sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do Terceiro Milênio”.  Embora o encontro de conclusão do Sínodo esteja previsto apenas para 2023, as dinâmicas do sínodo já começaram nas dioceses de todo o mundo, desde o dia 17 de outubro. O Povo de Deus, em todo o planeta, está convocado a participar, indicado quais caminhos a Igreja deve seguir para viver um renovado ardor missionário, atualizado sempre mais as suas estruturas, funcionamentos e ações.

Esse caminho sinodal de três anos é articulado em três fases (diocesana, continental, universal), feito de consultas e discernimento, que culminará com a assembleia de outubro de 2023, em Roma.