Você está em:

Comunidade eclesial – lugar da educação da fé

Ao falar da comunidade como lugar da educação da fé para criança, adolescentes, jovens e adultos, somos interpelados para olhar com mais cuidado para nossas realidades para perceber como caminha nossa comunidade, como está as nossas pastorais, a formação como discípulos missionários, a integração fé e vida. Uma caminhada da Igreja, nesse sentido, nos deixa claro que a verdadeira educação da fé só pode ser feita a partir dos acontecimentos da vida, de modo que a mensagem ressoe continuamente na vida das pessoas, e mais ainda, na vida da comunidade de fé.

Quais aspectos fundamentais podem nos ajudar a integrar “Fé e Vida”?

Conforme o Documento der Aparecida n. 278, são cinco os aspectos que nos ajudam a refletir para fazer uma interpretação da vida à luz da fé e descobrir a fé em ligação com a vida: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o discipulado, a comunhão e a missão. Pensar fé e vida nesse sentido, a necessidade de a formação aparece como uma prioridade para as pastorais e a comunidade como um todo. A formação é um direito e um dever, pois todos são chamados a dar testemunho de sua fé. Testemunhar Cristo e os valores do Reino.

Como fazer a experiência de fé e vivenciar a Palavra de Deus?

Desde o Concílio Vaticano II a Igreja vem apresentando propostas para a realização de uma boa formação catequética, uma metodologia adequada e orientações pedagógicas, considerando que a catequese é a experiência religiosa da comunidade de fé, é o lugar da manifestação da Palavra de Deus e elemento central da educação da fé.

A Catequese como educação da fé e a liturgia como celebração são duas funções da única missão evangelizadora e pastoral da Igreja (DNC 120). Assim, a formação se torna importante para bem fundamentar a fé no seguimento de Jesus, integrando a vivência comunitária, a participação em celebrações e encontros, retiros, interação com os meios de comunicação, inserção nas diferentes atividades pastorais.

Para seguir Jesus e testemunhá-lo como o Cristo ressuscitado, é preciso conhecê-lo bem. Daí surge a importância de um bom relacionamento com a Palavra de Deus: um ler corretamente as escrituras, interpretar os textos bíblicos e empregá-los como mediação de diálogo com Jesus Cristo, celebrar bem, fazer a experiência de estar junto, participando do banquete oferecido pelo senhor. O encontro com a Palavra viva exige a experiência de fé.

Para experimentar é fazer parte, se colocar no meio, ou seja, participar. Tornar a Palavra de Deus conhecida e interpretada fazendo dela luz para a realidade vivida pelos participantes. Criar uma interação da catequese com a liturgia, lugar onde celebra a vida, atualiza a mensagem da palavra e vive a presença e a eficácia da Palavra de Deus, no momento atual da vida. A catequese colhe sua mensagem da Palavra de Deus, que é a sua principal fonte. Assim, é “fundamental que a Palavra revelada fecunde a catequese e todos os esforços para transmitir a fé” (EG, n. 175).

Para que isto aconteça, antes de tudo, é se fazer presente nos fatos da vida, participar. Além de atualizar a Palavra na vida, precisamos atualizar a nossa forma de pensar. Atualizar nossos paradigmas: a catequese é um processo permanente de formação para a educação da fé que nos desperta para a vida, para o sacramento, para a celebração. Então, catequese não é coisa só de criança e nem é só para preparação de sacramentos. É uma atualização continuada da Palavra de Deus para todos e para a vida toda. Lembrar que o Diretório Nacional de Catequese chama a atenção para a prioridade da catequese com os adultos para que juntos possamos testemunhar o Cristo.

A Interação Catequese e Liturgia

A comunidade eclesial como lugar da educação na fé, vive o Mistério Pascal, traduzindo-o de forma concreta, na vida. Assim, a catequese interage com a liturgia para que não se esvazie do Mistério e seja reduzida a apenas teorias e conhecimento sobre Deus e a Igreja, e a liturgia, por outro lado, se interage com a catequese para que nela encontre o sentido do conteúdo da fé, que se consolida no aprofundamento da mensagem cristã. Esta é a missão da catequese e da comunidade evangelizadora. Todos os cristãos são chamados a assumir atitudes (DAp 436). A Igreja, em todos os seus grupos, movimentos e pastorais tem a importante missão de defender, cuidar e promover a vida, em todas as suas expressões (DAp 402).

Neuza Silveira de Souza. Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte