Você está em:

Centenário da Arquidiocese de BH: diáconos permanentes são ordenados na nova igreja-catedral

A solene cerimônia que transfere o título de igreja-catedral, do Santuário Arquidiocesano da Santíssima Eucaristia – Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, para a Catedral Cristo Rei, escreve novo capítulo na história da Arquidiocese de Belo Horizonte. Após um século, o Santuário Arquidiocesano da Santíssima Eucaristia deixa de ser catedral provisória, pois a Catedral Cristo Rei, ainda em construção, torna-se a Igreja-Mãe da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Uma procissão que reuniu diversos veículos  partiu do Santuário com o decreto canônico de transferência da igreja-catedral rumo à Catedral Cristo Rei. Às 18h, na Catedral, durante rito presidido pelo arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo, o decreto foi proclamado pelo padre Marcelo Silva, pároco e reitor do Santuário Arquidiocesano da Adoração Perpétua. Em seguida, o documento foi assinado por dom Walmor, pelo padre Marcelo, pelo chanceler da Arquidiocese, padre Carlos Cremonezi, por adoradores e evangelizadores do Santuário Arquidiocesano da Santíssima Eucaristia.

Pouco depois, às 19h30, dom Walmor presidiu a Missa com rito de ordenação de sete diáconos permanentes para o serviço ao povo de Deus. O Arcebispo sublinhou a singularidade da ordenação, emoldurada pela abertura do Ano Jubilar Centenário da Arquidiocese de Belo Horizonte. De modo especial, fez referência ao momento “singelo, orante e significativo” em que o decreto de transferência da igreja-catedral foi proclamado.

Em sua homilia, dom Walmor disse que a Igreja está no mundo para abrir comunidades, corações e mentes. “É a nossa tarefa neste momento, pois guerras, injustiças, violência, falta de solidariedade e indiferença são frutos de incompreensões”.

Dirigindo-se aos evangelizadores que iniciam a caminhada no diaconato permanente, o Arcebispo pediu para que sejam ministros colaboradores do altar, proclamadores da Palavra de Deus, homens consagrados que sempre vão ao encontro das pessoas, nas vilas e favelas, nas escolas, no trabalho, na família, em todos os lugares, para ajudar a Igreja a investir sempre mais no diálogo.

Receberam o Sacramento da Ordem para o Diaconato Permanente os evangelizadores Fábio de Brito Gonçalves, Giuscarlos Soares Rocha, Márcio Assunção de Paula, Marcos Daniel Machado, Normando Martins Filho, Paulo da Silva Reis e Rubens Pereira Lima. Assim, no dia em que a Arquidiocese de Belo Horizonte celebra seu centenário, 11 de fevereiro de 2021, é alcançada a marca de 100 diáconos permanentes ordenados, a serviço da evangelização nas comunidades de fé.