Você está em:

Catedral Cristo Rei: dom Walmor preside Missa na celebração dos 15 anos da Beatificação de Padre Eustáquio

O arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidiu a Eucaristia na celebração dos 15 anos de beatificação de Padre Eustáquio, no domingo, dia 13 de junho, na Catedral Cristo Rei. Animados, os devotos, acompanhados dos sacerdotes da Congregação dos Sagrados Corações, chegaram à Catedral em carreata, com a imagem do Beato Eustáquio, que permaneceu no altar durante toda a Missa, ao lado da imagem de Nossa Senhora da Piedade.

Em sua homilia, dom Walmor recordou que a cerimônia de beatificação de Padre Eustáquio, no ano de 2006 foi a primeira grande celebração de que participou após se tornar arcebispo da Arquidiocese de Belo Horizonte. No Estádio Mineirão superlotado de devotos, durante a “Torcida de Deus”, o delegado do Papa, Cardeal Saraiva Martins declarou oficialmente Padre Eustáquio como Beato. Dom Walmor disse que se sentiu profundamente tocado ao saber que padre Eustáquio abençoava todos que encontrava, desejando-lhes “Saúde e Paz”. Uma expressão que ele tornou presente em seus cumprimentos e convida todos a fazer o mesmo.

O Arcebispo também refletiu sobre o bonito caminho de santidade de Padre Eustáquio, convidando os fiéis a segui-lo.

Assista à homilia:

Biografia

Padre Eustáquio nasceu na Holanda no dia 3 de novembro de 1890. Filho de uma família muito católica, desde cedo desejou ser padre. Foi um dos três primeiros padres da congregação dos Sagrados Corações enviados ao Brasil.

A licalidade de Água Suja (hoje Romaria), no interior de Minas, foi o primeiro campo pastoral de padre Eustáquio, onde permaneceu por 10 anos. Em abril de 1942 foi enviado para Belo Horizonte com a missão de cuidar da Paróquia São Domingos, recém-criada. A matriz provisória funcionava na capela Cristo Rei, Vila Celeste Império.

No dia 16 de maio de 1943 lançou a pedra fundamental da atual Igreja dos Sagrados Corações, conhecida como Igreja do Padre Eustáquio, no bairro Padre Eustáquio. Em 30 de agosto do mesmo ano veio a falecer. Sua partida comoveu toda a cidade de Belo Horizonte.

Beatificação 

Desde que o Papa São João Paulo II, no dia 12 de abril de 2003, reconheceu a heroicidade das virtudes de Padre Eustáquio, inscrevendo o nome do religioso na lista dos Veneráveis Servos de Deus, o processo de Beatificação ganhou um novo passo, o de apresentar um milagre para que o sacerdote fosse reconhecido pela Igreja e declarado Bem-Aventurado pela Santa Sé.

Esse milagre foi constatado com a cura de um câncer, por intercessão do Padre Eustáquio, em benefício do Padre Gonçalo Belém, de Belo Horizonte, fato comprovado cientificamente.

O processo de Beatificação de Padre Eustáquio concluiu-se com a grande solenidade da Festa de Corpus Christi, em Belo Horizonte, no dia 15 de junho de 2006, no Mineirão.