Você está em:

Bispos do Regional Leste 2 da CNBB cumprem importante roteiro da visita ” ad Limina Apostolorum”

No terceiro dia da visita Ad Limina, os bispos do Regional Leste 2 da CNBB, cumpriram um importante roteiro, visitando a Congregação para os Bispos e a Congregação para a Doutrina da Fé, dois dos mais importantes dicastérios romanos.

 O começo do dia deu lugar ao momento mais importante, quando os bispos concelebraram solenemente na Cripta de São Pedro.  A celebração da Eucaristia foi presidida pelo bispo diocesano de Uberlândia e presidente da comissão para Liturgia do Regional Leste 2 da CNBB, dom Paulo Francisco.

Na Congregação para os Bispos, o bispo-relator foi o vice-presidente do CONSER Leste 2 e arcebispo metropolitano de Vitória, dom Luiz Mancilha. Em seu relatório, dom Luiz apresentou uma visão panorâmica da situação atual da Igreja no Leste 2, incluindo alguns dados estatísticos do número de bispos, padres, religiosos, dentre outros.

O prefeito da Congregação para os Bispos, Cardeal Giovanne Batista Ré, interpelou os bispos, reforçando o que já havia sido falado pelo bispo-relator, sobre o amor e o cuidado que os bispos devem ter com o seus presbíteros. O cardeal também destacou que os bispos de hoje são melhor preparados do que os bispos do século passado e por isso a Igreja pode e deve ganhar mais em qualidade. Por fim, tratou do assunto da pauta do dia: pedofilia. Advertiu aos bispos que, muito embora o habitual seja sempre a misericórdia, nesses casos de crimes de abusos sexuais de menores, é preciso ter clareza de sua gravidade e aplicar toda a justiça. O cardeal pediu para que os bispos cuidem de deixar a justiça estatal fazer seu papel nesses casos e que deem toda atenção possível às vítimas, que são violadas em todos os sentidos: física, piscológica, moral e espiritualmente.

Já na Congregação para a Doutrina da Fé, o bispo-relator foi o presidente do CONSER Leste 2 e membro da referida Congregação, dom Walmor Oliveira de Azevedo. Em seu relato, tratou do ensino da teologia e destacou alguns pontos de debate na última assembleia da CNBB sobre a questão dos abusos.

O presidente da Congregação para a Doutrina da Fé, cardeal William Levada, sereno e muito compenetrado, ouviu atentamente cada um dos bispos e comentou sobre todas as questões levantadas. Estavam presentes no encontro o arcebispo-secretário, Monsenhor Ladaria, e o promotor de justiça para os casos dos “Delita Graviora”, Monsenhor Charles Sciluna, membro na mesma congregação.

Voltou-se ao assunto da pedofilia, com orientações práticas e bastante completas sobre como agir tanto com o padre em delito quanto com as vítimas. As orientações da Igreja continuam sem vacilações: quem comete está sob suspeita de ter cometido o delito deve ser imediatamente suspenso de ordem e deve ser aberta a apuração. E nada de obstruir a justiça estatal. Além do cuidado redobrado com as vítimas.

A partir de hoje, 10, os bispos do Regional Leste 2 da CNBB, divididos em grupos, iniciam as audiências reservadas com o Santo Padre, Bento XVI.  Neste primeiro dia serão recebidos o presidente do CONSER Leste 2 e arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo; o bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte, dom Joaquim Giovani Mol, e o bispo diocesano de Governador Valadares, dom Werner Siebenbrock.

Acompanhe as notícias anteriores: Ad Limina , Celebração na Basílica de São Pedro , Comissão para América Latina