Você está em:

Biblioteca do Vaticano é aberta ao público

Normalmente disponíveis apenas para um grupo restrito de pessoas, os tesouros da Biblioteca do Vaticano estão abertos ao público, graças à exposição “Conhecer a Biblioteca do Papa: uma história aberta ao futuro”.

A iniciativa, de responsabilidade da Obra Romana das Peregrinações, permite que visitantes tenham acesso a ampla coleção de livros, manuscritos, impressos, desenhos, mapas, moedas e medalhas. Entre as preciosidades está o Borgianus Latinus, o missal de Natal feito por Alexandre VI, que se tornou Papa em 1492, o mesmo ano em que Cristóvão Colombo descobriu a América, e uma edição da Divina Comedia, de Dante.
Estão ainda expostas outras obras que, pela sua raridade, apenas poderão ser apreciadas e não manuseadas. Entre elas, destaque para o original do Papiro Bodmer, datado do século III e que constitui um dos manuscritos mais antigos da história do cristianismo – integra a primeira transcrição de dois Evangelhos, de Sâo Lucas e São João.
Para que a linguagem não seja um entrave à compreensão, os visitantes têm disponível um apoio multimídia, que conta com um guia auditivo em vários idiomas.

A mostra vai estar aberta até dia 31 de Janeiro, na Ala Carlos Magno, situada na Praça de São Pedro. Faz parte de uma série de eventos que comemoraram a reabertura da Biblioteca do Vaticano, depois de nos últimos três anos ter estado fechada para restauro e modernização.

Fundada em 1451 pelo Papa Nicolau V, ela acolhe atualmente cerca de 1 milhão e 600 mil livros impressos, 80 mil manuscritos, 100 mil unidades de arquivo, 300 mil moedas e medalhas, 150 mil impressos, desenhos, mapas e 150 mil fotografias.