Você está em:

[Artigo]Conhecendo Jesus (2)- O nascimento de João Batista e de Jesus, Neuza Silveira, Secretariado Arquidiocesano Bíblico-catequético de BH

 

Há poucos dias celebramos a grande festa do nascimento de Jesus. O menino Deus, tendo nascido do ventre de uma mulher, na cidade de Belém, na Judéia, vem estar conosco, vem viver nesse mundo, no meio de nós, e vem com toda a plenitude de sua humanidade. Depois da semana do natal, conhecida como as oitavas do natal, celebramos, no domingo seguinte a Epifania do Senhor, uma solenidade que nos faz conhecer a glória de Cristo, a qual se manifesta como luz na vida de todos os que se abrem aos planos de Deus. Decorrida mais uma semana, a Igreja já nos convida a celebrarmos o Batismo de Jesus.

O Evangelista Marcos, ao iniciar o evangelho de Jesus Cristo, nos fala de João Batista que, como mensageiro de Deus, recebia pessoas de toda a região da Judéia e também habitantes da Jerusalém para serem batizadas por ele, no rio Jordão. Esse gesto de João Batista, um batismo com água, significava um batismo de arrependimento para remissão dos pecados. Ele pregava: “Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de desamarrar suas sandálias. Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo.” 

Logo em seguida, em Marcos 1,9ss, o Evangelista já apresenta a narrativa do Batismo de Jesus, já adulto, sua ida para o deserto, seu retorno e o início de seu ministério, a partir da Galileia. Contemplar essa passagem nos faz trazer na memória o compromisso do nosso batismo. A voz do Pai que nos acolhe como filho e filha muito amados, assim como acolheu ao seu primogênito Jesus, no seu batismo. Nós também somos impulsionados pelo Espírito Santo para a missão no tempo propício pois trazemos conosco a marca do batismo que nos leva a viver e a anunciar Palavra.

Um olhar nos Evangelhos de Jesus segundo os evangelistas Mateus e Lucas 

Tanto Mateus como Lucas dão uma ênfase maior sobre o nascimento e infância de Jesus.

Mateus inicia o Evangelho falando das origens de Jesus. Ele eleva sua ascendência até o povo israelita, com o objetivo de relacionar Jesus com os principais depositários das promessas messiânicas, Abraão e Davi, e com os descendentes de Davi (2Sm 7,1ss e Is 7,14ss).  A genealogia do evangelista Lucas eleva Jesus a uma maior universalidade, pois remonta a Adão, cabeça de toda a humanidade.

Depois da genealogia apresentada, Mateus fala do período da gestação de Jesus, a gravidez de Maria pelo Espírito Santo e de José que assume a paternidade de Jesus. Depois do Nascimento de Jesus, em Belém, Mateus fala da visita dos Reis Magos, da fuga da família para o Egito em consequência do massacre dos inocentes, a pedido do Rei Herodes e, somente quando fica sabendo da morte do Rei Herodes, é que a família retorna para Israel, indo estabelecer-se na cidade de Nazaré, na Galileia.

O evangelista Lucas inicia o Evangelho de Jesus falando do nascimento e vida oculta de João Batista e de Jesus. Fala da anunciação do anjo do Senhor a Zacarias, anunciado a gravidez de Izabel; narra o anúncio do anjo Gabriel à maria. No decorrer da história fala da visitação de Maria à prima Izabel, do nascimento de João Batista e sua circuncisão, do nascimento de Jesus e visita dos pastores, sua circuncisão e apresentação ao Tempo. Toda essa história encontra-se narrada nos dois primeiros capítulos dos Evangelhos de Jesus segundo Mateus e Lucas. A partir do terceiro capítulo encontramos as narrativas dos ensinamentos de Jesus, seu trabalho missionário, que se inicia após o seu batismo por João, no Rio Jordão.

E o que conta os evangelistas sobre a vida de Jesus, em Nazaré? 

A referência que temos da vida oculta, tanto de João Batista e de Jesus se encontra no seu Evangelho, segundo Lucas:

Em Lc 1,80 – Vida oculta de João Batista: O menino crescia e se fortalecia em Espírito. E habitava nos desertos, até o dia em que manifestou a Israel.

El Lc 2,39 – Vida oculta de Jesus em Nazaré – Após a apresentação de Jesus no Templo e terminando de fazer tudo segundo a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. E o menino crescia, tornava-se robusto, enchia-se de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.

Lucas ainda acrescenta uma passagem da vida de Jesus quando ele completou seus 12 anos. Fala sobre Jesus ter ficado no Templo depois da celebração da páscoa, sem que seus pais notassem. Depois foi encontrado entre os doutores, dialogando com eles e todos que o ouviam ficavam admirados pela sua inteligência.

Depois desse episódio, a família desceu para Nazaré e Jesus era-lhes submisso. Maria guardava todos esses fatos em seu coração. O tempo passava e Jesus crescia em sabedoria, em estatura e em graça, diante de Deus e diante dos homens. 

Segundo os estudiosos da vida do Cristo, Jesus viveu na Galileia até os 30 anos. Veio da galileia para o rio Jordão para ser batizado por João Batista. E embora João não entendesse o gesto de Jesus, que era puro e sem pecados, batizou-o. Depois do seu batismo e da sua experiência no deserto, Jesus retorna para a Galileia, com a força do Espírito, e sua fama se espalhou por toda a região. Ele ensinava nas suas sinagogas e era glorificado por todos.

 

Neuza Silveira de Souza

Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte.