Você está em:

[Artigo] “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão” – Neuza Silveira

É sem dúvida que estamos vivendo tempos diferentes, de mudança de época, onde tudo sofre transformação. Tempos difíceis: pandemia, chuvas fortes, mortes, desastres ecológicos. São acontecimentos que não afetam só a sociedade, mas também a Igreja. Mas, depois de um longo tempo, estamos retomando as atividades, ajeitando os caminhos, com muita esperança, para iniciar as atividades. Cada um arrumando sua casa. A Igreja, enquanto comunidade eclesial, também prepara para a arrumação da Casa Comum, a casa de todos.

No sábado, dia 19 de fevereiro, nossa Arquidiocese de Belo Horizonte, realizou uma grande articulação, convidando todas as Regiões Episcopais para a apresentação, junto aos seus conselhos paroquiais, das ações pastorais que serão realizadas neste ano de 2022.

Cada Região Episcopal trouxe para reflexão, como ponto essencial, o caminho sinodal da Igreja. “Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão. Um caminho que ajuda a Igreja a cumprir sua missão de realizar e proclamar para a sociedade o projeto divino, resumido na pregação de Jesus como o “Reino de Deus”. Sua missão: “evangelizar” – Falar de Igreja; de um povo; de uma comunidade cristã; ou ainda, como o Apóstolo Paulo nos diz: uma Igreja que é “Corpo de Cristo”, no qual todos os membros são necessários em vista da missão (1Cor 12,12-30)”.

Segundo o Papa Francisco, o caminho da sinodalidade é justamente o caminho que Deus espera da Igreja do Terceiro Milênio. E como todos nós batizados somos constituídos o corpo dessa Igreja, somos chamados a acolher a ação salvífica de Deus que, à luz do espírito, ilumina nossas ações junto ao povo.

É nesse sentido que a nossa Igreja particular, em sintonia com a Igreja de Roma, trouxe para mais próximo de nós o tema da sinodalidade. Um convite para nos colocarmos à escuta uns dos outros e refletirmos como caminha nossa Igreja. Cada Região Episcopal trouxe esse mesmo tema para a abertura do Ano Pastoral, produzindo uma reflexão em sintonia com o projeto da Arquidiocese: “Proclamar a Palavra”.

Lembramos do Projeto de Evangelização “Proclamar a Palavra”?

O projeto pastoral da Arquidiocese é sustentado por quatro pilares como referência a casa. A casa da comunidade:

  • Pilar da Palavra de Deus: Iniciação à Vida Cristã e animação bíblica da vida e da pastoral;
  • Pilar do Pão: liturgia e espiritualidade;
  • Pilar da Caridade: serviço à vida plena – acolhimento fraterno e o cuidado com as pessoas, especialmente os mais frágeis e excluídos;
  • Pilar da Ação Missionária – estado permanente de missão – a experiência profunda com Deus.

Para dar prosseguimento aos projetos pastorais de cada Região Episcopal, percebemos que cada uma delas trouxeram o tema da sinodalidade, oferecendo um espaço de escuta e diálogo e a proposta de realização de seus projetos pastorais. A Região Episcopal Nossa Senhora da Conceição da Conceição apresentou o tema: “Sínodo: comunhão, participação e missão numa Igreja proclamadora da Palavra”. A Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida apresentou o tema da sinodalidade em sintonia com o nosso projeto trazendo uma reflexão sobre o tema: “Participação e comunhão”. Sinodalidade: o caminho da Igreja! A Região Episcopal Nossa Senhora do Rosário refletiu sobre o tema: “Projeto de Evangelização proclamar a Palavra”. A Região Episcopal Nossa Senhora da Esperança refletiu sobre o tema: “Sinodalidade: caminhar juntos e unidos pelo Reino”. A Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade também trabalhou o tema da sinodalidade orientando para uma boa participação na escuta sinodal e o caminho a percorrer até 2023.

No dia 11 de fevereiro, a Arquidiocese fez um convite para todos os fiéis para participarem da fase de escuta do Sínodo sobre a sinodalidade. A forma de participação é respondendo a um questionário com 14 perguntas de múltipla escolha que será encontrado no site da Arquidiocese: www.arquidiocesebh.org.br. Abrindo essa página, encontra o cartaz do sínodo com a figura do Papa Francisco. É só clicar no cartaz que abrirá uma nova página onde poderá abrir o questionário para responder. Cada pessoa é convidada a responder esse questionário. Assim, também oferece sua contribuição para a Arquidiocese de Belo Horizonte e a ajuda a identificar o que é necessário para ser uma Igreja Sinodal, ou seja, uma Igreja onde cada pessoa tem a oportunidade de “caminhar juntos” na missão. Outra missão importante: não deixe de participar junto à sua paróquia, da consulta que ela está realizando, enquanto Igreja local.

Colocando-se a caminho nos deparamos com o período quaresmal que nos chama para estar atentos e perseverantes para não deixar passar o amor de Deus que é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo. É esse amor que nos ajudará no cotidiano de nossa vida a realizar o processo de conversão.

Somos continuamente chamados à escuta e o acolhimento na fé do querígma salvífico, sendo essa opção obra do Espírito Santo. Somos caminheiros na obra do Senhor. Só não podemos nos deixar cansar. Como diz Paulo Apóstolo: Não nos cansemos de fazer o bem, porque, a seu tempo, colheremos, se não tivermos esmorecidos, pois assim é: o mesmo Espírito que atuou na vida de Jesus, atua hoje nos cristãos, a saber, o Espírito de Cristo ressuscitado, para plasmar neles uma existência semelhante à de Cristo (Fl3,11s) e, assim, constituindo-os filhos de Deus.

 

Neuza Silveira de Souza.

Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte.