Você está em:

[Artigo] A Palavra de Deus na vida do povo – Neuza Silveira, Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte

O que é a Palavra de Deus?

Pode-se dizer que a Palavra de Deus é LUZ. Se a seguimos nunca andaremos nas trevas.
Ela é também “alimento”, por isso precisamos sempre buscar a Palavra de Deus que nos alimenta a partir das experiências daquele povo que vivia de forma ardente, sentindo a presença de Deus na vida e se fortalecendo espiritualmente para se colocar ao serviço do Reino de Deus.

A Palavra nutre nosso Espírito

O Espirito Santo de Deus trabalha em nós e nos faz sentir fome de Deus. Faz-nos desejar o amor de Deus, chama-nos para uma comunicação transcendental, pois o ser humano é um ser religioso pela própria natureza.

Mas, também, se fizermos uma leitura atenta da Bíblia vamos perceber que ela foi um guia para uma vida mais longa e com mais saúde. Fala de pão, vinho, peixe, azeite, frutas, grãos, mel e ervas. O pão rico em fibras, o vinho que às vezes é remédio e recomendado para uma boa digestão. O peixe com suas proteínas nutritivas, superior às carnes vermelhas. Temos também o uso das oliveiras, o fruto, a azeitona, o óleo de oliva nos alimentos, o extra virgem nas saladas e que tem ação terapêutica.

Simbolismos da Palavra de Deus

Na tradição bíblica, o simbolismo da água é muito rico: além de restaurar, purificar, produzir frutos, faz lembrar o Espírito de Deus (Is 44,3-4; simboliza também a salvação (Is 12,3; Ez 17,1-12). O próprio Deus é apresentado como fonte de água viva (Jr 2,13).
A Palavra de Deus é fonte de água pura. Assim como a água limpa nosso corpo, Deus limpa nosso coração. Assim diz Jesus à samaritana: “Quem beber da água que eu lhe darei, nunca mais terá sede” (Jo 4,14). A água que eu lhe der se tornará uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.

A água que Jesus oferece é dada gratuitamente. Basta aceitá-la. Mais ainda: quem assim fizer, também se tornará fonte. A água do poço sacia momentaneamente. A água que Jesus oferece faz do sedento “uma fonte de água, jorrando para a vida eterna”. Há um sentido mais pronunciado de abundância, de transbordamento e de movimento. Tudo isso se contrapõe à água estagnada, sem dinamismo, sem vida (doc. 107).

A Palavra de Deus é força. Que a busquemos sempre para lutarmos até o fim contra o mal, contra os conflitos que nos impedem de realizar a vontade de Deus. Que o bem prevaleça sobre o mal.

A Palavra de Deus nos conforta. Ajuda-nos a superar as tristezas pelas quais passamos, a sobreviver às tempestades de sentimentos e pensamentos que nos afloram quando nos encontramos diante de situações difíceis, sem entendermos o porquê.

Muitas são as formas e modos de ler a Bíblia. Precisamos buscar entendimento sobre a Bíblia para compreendê-la. Vamos conversar sobre a riqueza que seus livros nos apresentam? Quais são as perguntas que se fazem a respeito da Bíblia?

Muitos cristãos perguntam quando e onde a Bíblia foi escrita. O Primeiro Testamento formou-se ao longo de oito séculos e o segundo ao longo de um século. Além disso, os livros, e dentro deles os textos, não estão em ordem cronológica.

Antes de ser escrita, a Bíblia foi vivida. O povo fez uma grande experiência de Deus. Muitas histórias sobre seus livros nos falam de um Deus que caminhou com seu povo e conversou com ele. Os fatos iam acontecendo, o povo ia guardando na memória e realizando a transmissão de viva voz. Só há muito tempo depois é que essas experiências foram escritas. Cada texto traz consigo a marca do seu tempo. Por isso é importante conhecer o texto para uma boa interpretação.

Quem escuta a Palavra deve procurar conhecê-la melhor e colocá-la em prática. A Palavra de Deus deve entrar nos ouvidos, pousar no coração, transbordar e explodir nas obras, pois ela é o registro escrito, sob a luz da fé, de experiências vividas por mulheres e homens em épocas, lugares e situações diferentes. Apresenta todas as formas de viver essas experiências em seus aspetos familiares e comunitários.

A Palavra de Deus é ressurreição. Todos devem anunciá-la a todas as mulheres e homens de todos os tempos. Ela é fiel e deve ser vivida com muito amor.

Neuza Silveira de Souza
Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte