Você está em:

Arquidiocese de BH celebra o Centenário de nascimento de Dom João Resende Costa – 17 a 22 de outubro

O Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, tem a alegria de convidar todos para as celebrações do Centenário de nascimento de Dom João Resende Costa, de 17 a 22 de outubro.

Um momento especial para a Arquidiocese de Belo Horizonte. Tempo oportuno para homenagear, reconhecer e valorizar a presença marcante e significativa de Dom João Resende Costa, o 2º Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte.

Programação:

Dia 17 de outubro
Dia Mundial das Missões
Orando e reavivando a memória de Dom João Resende Costa

Local: Paróquias da Arquidiocese de Belo Horizonte

Dia 18 de outubro
10h – Sessão solene
Presidência: Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e Reitor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Painel: “Dom João, um homem de Deus: pastor e amigo”
Painelistas:
• Pe. Cleto Caliman, SDB
• Pe. João Batista Libanio,SJ
• Pe. Nereu de Castro Teixeira
– Exibição do vídeo: “Dom João Resende Costa – In laudem gloriae Dei” (Para o louvor da glória de Deus)
– Homenagem dos estudantes
– Descerramento da Placa Comemorativa
Local: Instituto Dom João Resende Costa – Auditório 1
Av. Dom José Gaspar, 500 – Prédio 4 – bairro Coração Eucarístico – Belo Horizonte – MG

Dia 19 de outubro
20h30 – Celebração Eucarística Solene presidida por Dom Serafim, Cardeal Fernandes de Araújo,  concelebrada por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, bispos e presbíteros. Participação especial das Instituições da Arquidiocese e dos Conselhos Pastorais Paroquiais. (A Celebração será transmitida pela TV Horizonte – 22 NET, 24 OI e 19 UHF)
– Relançamento de “Palavras do Caminho” (1978), uma das obras de Dom João Resende Costa
Local: Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua – Catedral Nossa Senhora da  Boa Viagem

Dia 20 de outubro
19h – Celebração Eucarística presidida por Pe. José Januário Moreira, Vigário  Episcopal para a Comunicação e Cultura da Arquidiocese de Belo Horizonte, seguida de Momento Cultural: 

– Apresentação do Coral Mater Ecclesiae, Meninos Cantores de Santa Luzia
– Exibição do vídeo: “Dom João Resende Costa – In laudem gloriae Dei” (Para o louvor da glória de Deus)
Local: Paróquia Santa Tereza e Santa Terezinha
Praça Duque de Caxias, 200 – Bairro Santa Teresa – Belo Horizonte – MG 
 

– Abertura da exposição em homenagem a Dom João Resende Costa
Local: Memorial da Arquidiocese de Belo Horizonte
Praça Duque de Caxias, 200 – Bairro Santa Teresa – Belo Horizonte – MG

Dia 21 de outubro
20h – Sessão solene de homenagem
Local: Academia Mineira de Letras
Rua da Bahia, 1466 – Bairro de Lourdes – Belo Horizonte – MG

Dia 22 de outubro
11h – Te Deum
Presidência: Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte
Local: Ermida da Padroeira Nossa Senhora da Piedade

12h – Benção do Espaço de Convivência Dom João Resende Costa
Abertura da exposição fotográfica do Centenário
Local: Espaço de Convivência Dom João Resende Costa
Santuário Estadual Nossa Senhora da Piedade – Serra da Piedade – Caeté – MG

Trajetória de Dom João Resende Costa –

 

Dom João Resende Costa, SDB, é filho do casal Francisco Marques da Costa Júnior e Mariana de Resende Costa. Nasceu em 19 de outubro de 1910, em Borda da Mata – MG, Arquidiocese de Pouso Alegre. 

Seus estudos secundários foram realizados no Colégio São Joaquim, em Lorena-SP, e os filosóficos, no Colégio São Manoel, em Lavrinhas – SP. Em 28 de janeiro de 1927, entrou para o Noviciado e recebeu o hábito na Congregação Salesiana. O curso de Teologia foi feito em Roma, na Pontifícia Universidade Gregoriana, onde se doutorou em Teologia Dogmática, defendendo a tese “A Influência de Dominis na doutrina de Martin de Barcos”. 

Sua Ordenação Sacerdotal também aconteceu em Roma, na Basílica de Santo Inácio, no dia 28 de julho de 1935.

Em 23 de fevereiro de 1953, foi nomeado Bispo Diocesano de Ilhéus- BA, sendo ordenado Bispo em 24 de maio de 1954, na Matriz do Liceu Coração de Jesus, em São Paulo, pelas mãos do Emmº Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota. 

Em 19 de julho de 1957, foi nomeado Arcebispo Coadjutor e Administrador Apostólico “Sede Plena” de Belo Horizonte com o título de Arcebispo de Martirópolis, tomando posse em 30 de novembro do mesmo ano.

Em 15 de novembro de 1967, por ocasião do falecimento de Dom Antônio dos Santos Cabral, que conservou o título de Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte até a sua morte, Dom João tornou-se o Novo Arcebispo Metropolitano. Em 24 de maio de 1969, recebeu na Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem o Pálio Arquiepiscopal, que veio de Roma por meio de um Procurador Salesiano, sendo imposto pelo Cardeal Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota. 

Como Bispo Coadjutor e Administrador Apostólico “Sede Plena” da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom João assumiu importantes missões. Entre as principais obras que realizou, estão a criação de 52 paróquias, inauguração de 75 novos templos, criação de 18 comunidades religiosas masculinas e 60 femininas, além da ordenação de diversos padres. Organizou o patrimônio da Arquidiocese, construiu o Edifício Pio XII, concretizou juridicamente a Universidade Católica de Minas Gerais e construiu seu edifício sede.

Dom João também reestruturou a Arquidiocese dentro das novas linhas do Concílio Vaticano II, criando vigários episcopais, o Conselho Presbiteral, a coordenação de pastoral e as comissões de pastoral. Em 1967, Dom João tornou-se Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte. Participou do XXXIX Congresso Eucarístico Internacional em 1968, em Bogotá (Colômbia), e neste mesmo ano foi convocado pelo Papa Paulo VI para tomar parte ativa da II Conferência Geral do Episcopado Latino-americano, que aconteceu em Medellín (Colômbia).  

Em 1985, ao completar 75 anos, Dom João encaminhou seu pedido de renúncia ao Papa João Paulo II. Em 1986 o pedido foi aceito e ele tornou-se, então, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Faleceu em 2007 e foi sepultado na cripta da Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem. Uniu a sua Igreja com amor, paciência e bondade.