Você está em:

“A Igreja está no coração do mundo para cuidar”- dom Walmor em celebração com rito ordenação sacerdotal

O arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo presidiu Celebração Eucarística e Ordenação Presbiteral dos diáconos Alan Pereira da Silva, Danilo Fonseca Leal, Henrique Zanola Paiva, Higo Dias de Oliveira Almeida e Samuel Fidelis Donatos, a serviço da Igreja, em favor do Povo de Deus, na manhã deste sábado, dia 14 de agosto, na Catedral Cristo Rei. Durante a homilia, o Arcebispo fez importantes partilhas sobre o dom do sacerdócio e seus desafios. A Missa foi concelebrada por bispos auxiliares, pelo reitor do Seminário Arquidiocesano Coração Eucarístico de Jesus, padre Evandro Campos Maria e presbíteros.

Dom Walmor inspirou-se na 2ª Carta aos Corintios  para lembrar aos novos sacerdotes de que a existência de cada ser humano compara-se ao vaso de barro – citado pelo apóstolo Paulo,  no capítulo 4 – que deve trazer um tesouro único: Cristo Jesus.

“A igreja está no coração do mundo para tratar, cuidar, debruçar-se misericordiosamente sobre o vaso de barro que é cada um , e deixar-se tocar pelo anúncio bonito da Palavra de Deus, fazendo com que Ele, o Cristo, Nosso Senhor, seja o centro, a razão de nossa paixão. Se esse encantamento se apaga no coração de qualquer um de nós poderemos continuar funcionando, fazendo, dizendo, tendo até ideias interesantes, mas não seremos os discípulos e discípulas missionários de Cristo Jesus. Esse encantamento não podemos perder, e não podemos partir para a vida, para a luta, sem esse encantamento todos dias renovado, para não corrermos o risco de agir desconectados da força bonita desta fonte inesgotável” – sublinhou o Arcebispo.

Dom Walmor recordou ainda os exemplos de dois santos no cuidado da própria existência à luz da Palavra de Deus e do cuidado com a existência dos demais: São João Maria Vianney, Patrono dos Sacerdotes – que dizia ser um vaso de barro e que tinha um tesouro para carregar nesse vaso – Jesus Cristo – e São Maximiliano Maria Kolbe – que, no campo de concentração, ofereceu-se para ser sacrificado no lugar de um pai de família, e dar a esse pai a oportunidade de cuidar dos filhos ainda pequenos.

Aos novos sacerdotes o Arcebispo fez o convite a cuidar do vaso de barro, deixando, em cada pessoa, Cristo resplandecer – tesouro único para iluminar mentes, intuir caminhos novos e ajudar o mundo a viver o Evangelho. “Venham, vale a pena. É sacrificante, é exigente, mas vale a pena porque é uma missão bonita que a Igreja precisa, que o Povo de Deus merece e nós queremos, com vocês, realizá-la sempre mais, com amor”.

Assista, na íntegra , a homilia de dom Walmor: