[Vídeo] Comitês do setor ambiental da Arquidiocese de BH fortalecem ações à luz da Ecologia Integral

Em sintonia com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Arquidiocese de Belo Horizonte criou, recentemente, três comitês que fortalecem as ações do setor ambiental do Vicariato Episcopal para a Ação Social, Política e Ambiental (Veaspam): o Comitê Arquidiocesano das Águas (COÁGUAS), o Comitê Arquidiocesano sobre Mineração (CAM) e o Comitê Arquidiocesano sobre Mineração na Serra da Piedade (CAMISP). Os comitês foram inspirados na Carta Encíclica do Papa Francisco Laudato Si’ sobre o cuidado com a Casa Comum.

De acordo com Janise Bruno Dias, coordenadora do setor ambiental do Veaspam, “o grande objetivo desses três comitês é contribuir também com o setor social e político, para que a Arquidiocese de BH possa construir ações sejam permanentes para as comunidades de fé”. Entre as atribuições do Comitê Arquidiocesano das Águas (COÁGUAS) estão ações que visam a formulação de políticas públicas para garantir a preservação e o acesso universal à água.

Segundo o professor João Henrique Rettore Totaro, coordenador do COÁGUAS, o Comitê tem, por exemplo, práticas voltadas para promoção de políticas públicas de saneamento, de oferta de água de boa qualidade e com o volume necessário para todas as pessoas. Além disso, o COÁGUAS também oferece ações de formação para informar a comunidade. “Nosso objetivo é realizar aulas abertas para conscientizar  as pessoas de forma gradual e abrangente sobre a importância de cuidar do meio ambiente. Para isso, contaremos com a produção de materiais educativos e aulas nas comunidades de fé, com temas específicos e entendendo quais são as necessidades de cada região”, finaliza.

Para o professor Miguel Ângelo Andrade, coordenador do Comitê Arquidiocesano sobre Mineração, a comissão coloca em foco a discussão de políticas públicas para o desenvolvimento em territórios minerários e a promoção da participação social para qualificar as tomadas de decisão sobre os impactos negativos da mineração. “O comitê surgiu em função da necessidade de discutir sobre o tema, mas também em função da maturidade que a Arquidiocese de BH vem construindo o assunto “mineração”, mostrando a importância de institucionalizar esse conhecimento por meio da  implantação de projetos e programas à luz da Ecologia Integral, respeitando os princípios da Casa Comum”, pontua. 

O Comitê Arquidiocesano sobre Mineração na Serra da Piedade (CAMISP) fortalece a luta contra a exploração predatória de minério na Serra da Piedade, em Caeté. ” Buscamos articular reflexões não somente com sacerdotes, mas também com outras instâncias e outros organismos para encontrar caminhos de preservação do ambiente e das vidas que estão ao nosso redor. O nosso desejo também é de informar os moradores da região e turistas sobre a riqueza ambiental, histórica e cultural da Serra da Piedade,  promovendo a participação social de forma a qualificar as tomadas de decisão sobre os impactos negativos da mineração, explica o padre Wagner Calegário, reitor do Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade e coordenador do CAMISP.

Confira, abaixo, a reportagem da TV Horizonte

VEJA TAMBÉM