Pastoral da Criança intensifica amparo às famílias

Moradora do bairro Botafogo, em Ribeirão das Neves, a faxineira Alecsandra Batista Vieira, 40 anos, conheceu a Pastoral da Criança da Arquidiocese de Belo Horizonte por meio da amiga Edsônia Faria Basílio dos Santos, que é uma das líderes da Pastoral.  Mãe da garotinha Thaísa Luana, 4 anos, ela precisou do apoio da Pastoral da Criança quando descobriu que a garota apresentava crises epilépticas convulsivas.  Alecsandra  foi informada de que a doença não era um empecilho para o desenvolvimento da criança e recebeu orientações para que a pequena Thaísa tivesse tratamento adequado. “Ela está bem saudável e é bastante sociável”, explica Alecsandra.

Recuperando-se de um câncer de mama, Alecsandra também recebeu auxílio espiritual da Pastoral Criança para enfrentar a enfermidade. O auxílio se deu por meio de orações e reflexão sobre episódios da Bíblia.  Ela diz que recebeu ainda uma grande ajuda dos outros filhos, de 24, 18 e 13 anos.

Com a pandemia e a necessidade de se respeitar o distanciamento social, as visitas dos líderes da Pastoral da Criança foram suspensas. Mas a coordenação nacional da Pastoral desenvolveu o aplicativo “Visita Domiciliar”, que traz informações e oferece capacitação, formação e apoio às famílias. Os temas compartilhados se referem a dicas de saúde em tempos de pandemia, nutrição, alimentação, com receitas gastronômicas, desenvolvimento infantil e prevenção ao isolamento social. Brincadeiras também são disponibilizadas para as crianças. O aplicativo é gratuito.

A ferramenta digital ainda reúne as principais informações científicas sobre o novo coronavírus, em uma linguagem mais acessível ao público-alvo da pastoral, que atua em áreas de vulnerabilidade social. Todo o conteúdo publicado é revisado por especialistas.

VEJA TAMBÉM