Projeto Beira-linha: jovens recebem amparo espiritual e qualificação profissional

Leiliane participou da oficina de Língua Portuguesa com objetivo de ajudá-la a passar em concursos

O mercado de trabalho exige cada vez mais profissionais capacitados em tecnologia e com domínio de outros idiomas. Mas, nem sempre, jovens e adultos têm acesso à qualificação necessária. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 23% dos jovens brasileiros não trabalham e não estudam, por falta de políticas públicas, problemas com habilidades cognitivas e socioemocionais, entre outros. Mas, segundo o estudo do Ipea, eles não são inativos, realizando outras atividades produtivas, como as ocupações domésticas.

Neste cenário de falta de qualificação e de oportunidades, o Projeto de Extensão Beira Linha: inclusão digital e língua estrangeira é realizado na PUC Minas São Gabriel pelo Curso de Sistemas de Informação, com o objetivo de capacitar as pessoas para o mercado de trabalho, oferecendo formação na área de informática e línguas. “As oficinas que oferecemos capacitam os beneficiários para o mundo profissional, aumentando a possibilidade de inserção no mercado de trabalho. Além disso, ocupam boa parte do tempo ocioso, diminuindo a exposição a situações de risco e violência”, explica a professora Sandra Silveira, coordenadora do Projeto.

O Projeto passou também a oferecer aos estudantes oficina de preparação para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nas modalidades de Língua Portuguesa e Matemática. “O objetivo é promover a inclusão através da preparação para a prova do Enem e de concursos”, diz a professora Sandra. Naason Galdino da Silva Neris , aluno do Curso de Jornalismo e graduado em Letras, trabalha no projeto como monitor das oficinas de Língua Portuguesa e acredita que os participantes veem nas oficinas uma oportunidade para aprimorarem seus conhecimentos. “Os beneficiários gostam da proposta das oficinas, pois difere muito das aulas de Língua Portuguesa em sala de aula convencional”, explica.

Leiliane Pereira participou da primeira turma de Língua Portuguesa do projeto Beira Linha, há quase 2 anos. “A oficina tem grande importância para nós, porque nos auxilia em conhecimentos gerais e específicos”, explica. Ela viu na oficina uma oportunidade para expandir seus conhecimentos. A oferta de oficinas pelo Projeto é renovada a cada ano considerando as necessidades identificadas na região. “Acompanhamos a demanda do nosso público e, a partir das diretrizes da Extensão Universitária da PUC Minas, oferecemos as oficinas e atividades mais adequadas”, comenta a professora Soraia Lúcia da Silva, coordenadora de Extensão do Curso de Sistemas de Informação da Unidade São Gabriel e coordenadora do projeto Beira Linha por 16 anos.

O projeto

Ao longo dos 17 anos de realização do projeto Beira Linha, foram atendidos mais de cinco mil beneficiários diretos e mais de 20 mil beneficiários indiretos. Jeferson da Costa Martir, funcionário do Instituto de Educação Continuada na Unidade São Gabriel, participou das oficinas do projeto de extensão em 2012, quando era jovem aprendiz na Universidade. Em 2015, os conhecimentos desenvolvidos nas oficinas de informática contribuíram para sua contratação no cargo atual. “O curso foi um incentivo em minha vida, porque eu era leigo nas questões de informática”, conta Jeferson.

VEJA TAMBÉM