Você está em:

Uma Igreja na sociedade e evangelizadora

 

Nossa Igreja tem sido orientada pelo Santo Padre, o Papa Francisco, a abrir-se para tornar-se cada vez mais evangelizadora, no mundo. Isso significa que é preciso sair detrás dos muros eclesiais e colocar-nos a caminho para levar a Palavra de Deus à sociedade. Aliás, nossos bispos, seguindo essa importante idéia do Papa convocou-nos a refletirmos nesse ano na Campanha da Fraternidade justamente o tema que nos ajuda a irmos ao trabalho com a disposição de servir.

O tema da Campanha da Fraternidade é: Eu vim para Servir (cf. Mc 10,45) e o lema. Fraternidade: Igreja e Saciedade. Essa é a oportunidade que temos de averiguarmos como temos vivido a dimensão de serviço em nossa vida, pois desde o nosso Batismo fomos ungidos para sermos servidores e anunciadores da vinda do Reino de Deus. Essa é a grande diferença que precisamos fazer na sociedade porque cada pessoa que nos encontrar precisa descobrir em nós alguém que, não obstante a consciência das próprias limitações se reconhece como servidor.

Ser uma Igreja evangelizadoraoé ser comprometida com as causas sociais mais prementes dos irmãos que estão no caminho e que acreditam que como cristãos podemos fazer algo por eles

Mas como desenvolvermos em nós essa capacidade de servir? Primeiro é preciso fazer um retiro para dentro de nós mesmos para, a partir de um deserto deixar que a voz de Deus fale em nosso interior, pois é preciso descobrir o amor para transmiti-lo aos outros.  Outro passo para servir é agir com desapego e com a vontade de que as pessoas também possam experimentar o que experimentamos quando servimos. Ser exemplo de vida não só nas palavras, mas no esforço pessoal de querer dar de si o melhor para os outros, principalmente para quem está à margem de nossa sociedade.

Quando dizemos que nossa Igreja precisa estar na sociedade como evangelizadora, não é apenas pelo simples fato de anunciar, mas muitas vezes de denunciar as injustiças às quais os mais pobres estão submetidos por causa do descaso de quem tem que fazer algo por eles, mas também nós precisamos agir no anúncio com atitudes que edifiquem quem bate à nossa porta.

Ser uma Igreja evangelizadora, portanto, é ser uma Igreja convicta da missão que recebeu de Jesus Cristo, através dos apóstolos. É ser comprometida com as causas sociais mais prementes dos irmãos que estão no caminho e que acreditam que como cristãos podemos fazer algo por eles. É não frustrar as expectativas de quem espera por nós para ver suas necessidades serem supridas.

Igreja significa comunidade e ser comunidade significa estar atento aos outros, por isso é mercê nossa estar atentos quando Jesus nos chama para o trabalho evangelizador. Não podemos colocar limites em nosso trabalho. É como dizia santa Teresa de Jesus, Santa Carmelita Descalça da cidade de Ávila, na Espanha: “Quem começa a servir ao Senhor o mínimo que lhe pode oferecer é a própria vida”. Esse pensamento de santa Teresa nos deve ajudar a perceber que Jesus por muitas vezes se manifesta, querendo nossa ajuda, por meio de nosso irmão ou irmã necessitados. Tenhamos coragem de nos colocarmos a serviço e, assim, estaremos vivendo nosso Batismo como colaboradores de nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo que afirmou: “Eu vim para Servir”.

 

Pe. Jorge Filho
Pároco da Paróquia  Maria, Serva do Senhor