Você está em:

Serviço de convivência apoia idosos na Arquidiocese de BH

 

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para a Pessoa Idosa é uma ação social da Arquidiocese de Belo Horizonte, realizada por meio da Providência Nossa Senhora da Conceição, que atende mais de 2.000 pessoas com idade acima de 60 anos.

Colaborar com o processo de envelhecimento saudável, com o desenvolvimento da autonomia do idoso e proporcionar condições para que ele interaja com o seu meio social, é o objetivo desse trabalho feito com grupos de convivência da melhor idade. As ações, segundo a assessora de projetos sociais da Providência, Giliane Santiago Viana, visam a apoiar o idoso para que ele possa fortalecer os vínculos familiares e o convívio comunitário, prevenindo e enfrentando, assim, as dificuldades que chegam com a idade.

São beneficiados cidadãos inscritos no Benefício de Prestação Continuada (BPC), as famílias atendidas pelos programas de transferência de renda ou ainda idosos que estejam em situação de isolamento social.  Eles são encaminhados ao Serviço de Convivência pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), pelos Centros de Saúde e, também, por  demanda espontânea, visto que um idoso convida o outro. Além disso, as paróquias e as ações sociais das comunidades incentivam as pessoas a se inscreverem.
 

Hoje são atendidos 39 grupos  dos Serviços de Convivência, que somam, aproximadamente, 2.500 idosos

Hoje são atendidos 39 grupos  dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para a Pessoa Idosa, sendo 32 localizados nos CRAS, como por exemplo o Grupo de Convivência União Granja de Feitas – CRAS Granja de Freitas e o Grupo de Convivência Vivendo e Aprendendo com Alegria – e CRAS Alto Vera Cruz.  Outros sete núcleos estão nas áreas de vulnerabilidade social, como o Grupo de Convivência Nossa Senhora Aparecida, do Bairro Cafezal, e o Grupo de Convivência São Geraldo, no Bairro São Geraldo. Localizados no município de Belo Horizonte, eles somam, aproximadamente, 2.500 idosos atendidos.

Eles participam de diversas atividades, como jogos e dinâmicas que trabalham a memória e a criatividade, ginásticas e danças, palestras e bate-papos sobre temáticas direcionadas para idoso. Atenção especial é dada a questões relacionadas com envelhecimento ativo e saudável, alimentação saudável, saúde do idoso, entre outras. São realizadas também oficinas de artesanato e construção com foco na realidade e condicionamento físico e mental do idoso, além de passeios, bingos divertidos e outras atividades lúdicas e interativas que possibilitem momentos de diversão e trocas de aprendizado e sabedoria.

O trabalho é desenvolvido por uma equipe profissional constituída por um assessor de projeto social, um assistente administrativo e seis agentes sociais. Segundo Giliane Santiago, cada profissional tem papel importante na consolidação do acesso destes idosos a seus direitos.

Os encontros semanais são facilitados pelo Agente Social, que fica responsável por executar a ação no dia a dia do grupo. É o profissional que está na linha de frente, trabalhando diretamente com o idoso, incentivando a participação ativa dos idosos nos diversos seguimentos da política, registrando a frequência e desenvolvendo as atividades e ações pautadas nas reuniões de planejamento e que objetivam a convivência e o fortalecimento de vínculo familiar e comunitário.

São realizadas frequentemente capacitações profissionais, planejadas pela instituição e também pela Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social, com o objetivo de motivar e estimular os profissionais que atuam no projeto, além de complementar o conhecimento dos mesmos perante as políticas públicas direcionadas ao idoso.