Você está em:

Semana do Anima PUC Minas tem como tema encíclica do Papa Francisco

A primeira mesa-redonda da Semana do Anima PUC Minas, realizada dia 8, no Campus Coração Eucarístico, teve como tema a encíclica do Papa Francisco que fala sobre ecologia integral. Participaram do debate, os professores Paulo Agostinho Nogueira Baptista, do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião e Eugênio Batista Leite, pró-reitor adjunto da PUC Minas Betim. A professora Tânia Dias Jordão, do Observatório da Evangelização da PUC Minas, foi a mediadora.

Durante o diálogo, os convidados falaram, dentre outros assuntos, sobre a preocupação com o cenário atual referente a ecologia, as atitudes do ser humano como responsáveis pelo meio ambiente, e a atuação do Papa Francisco na defesa da natureza e da vida humana.

Na Encíclica do Papa Francisco, publicada neste ano, a ecologia integral é vista como um novo paradigma de justiça, que convida as pessoas à necessária conversão ecológica e mudança de rumo, para que o ser humano assuma a responsabilidade de um compromisso para o cuidado comum, não deixando prevalecer a cultura do descarte. Para o professor Eugênio Batista Leite, ter uma pessoa carismática e ética como Papa Francisco na luta pelo meio ambiente faz as comunidades ambientalistas terem mais entusiasmo na proposta de uma revolução cultural. “Nessa história da luta ambiental nos faltava uma pessoa com carisma, com uma ética e com a determinação do Papa Francisco. Então, a chegada dele na questão ambiental, ainda mais agora com a Laudato Si, conduzindo esta negociação, nos enche de alegria e de ânimo. Pela primeira vez a comunidade de ambientalistas ficou tão entusiasmada, tão cheia de esperança, porque nós temos à frente dessa convocação uma pessoa que nos enche de orgulho, uma pessoa ética, um sábio, uma pessoa carinhosa, cuidadosa.”

De acordo com a Encíclica do Papa Francisco, deve-se investir na formação para uma ecologia integral, compreender que o ambiente é um dom de Deus, uma herança que o homem deve administrar, e isso com pequenos gestos do ser humano no dia-a-dia. Na opinião do professor Paulo Agostinho a religião tem um papel muito importante nessa luta, pois, ela apresenta sentidos. “O grande desafio hoje é o homem se redescobrir, buscar o sentido mais profundo de si mesmo, das relações, da natureza, para que ele, descobrindo essa dimensão mais profunda e espiritual, se renove e encare o desafio de transformar a realidade, sem deixar que o planeta se perca, seja destruído pela irresponsabilidade, pela postura individualista.”

A Semana do Anima PUC Minas está sendo realizada no prédio 4, auditório 1 – Campus Coração Eucarístico. O próximo debate será nesta quinta, dia 10, às 19h30.