Você está em:

Paróquia São José, em Vespasiano: espiritualidade fortalece dependentes químicos e presos no desafio de buscar uma nova vida

A fé e a dedicação dos agentes da Pastoral da Sobriedade e da Pastoral Carcerária da Paróquia São José, em Vespasiano, ajudam a transformar a vida de pessoas que desejam se libertar da dependência química e de presos. Além do apoio psicológico, que se estende às famílias, o trabalho tem por objetivo, sobretudo, fortalecer a espiritualidade e a fé daqueles que desejam encontrar um novo caminho.

Todas as semanas, o grupo da Pastoral da Sobriedade realiza uma reunião com a presença dos dependentes e seus famílias. O serviço é gratuito, realizado por voluntários que dão seu testemunho cristão, transformando a fé em obras. Além do apoio psicológico,o trabalho tem por objetivo, sobretudo, fortalecer a espiritualidade e a fé de quem deseja se libertar do abuso das drogas. Esse serviço, a exemplo do que acontece na Paróquia São José, é realizado nas 25 paróquias da Arquidiocese Belo Horizonte, onde existe a Pastoral da Sobriedade.

Os familiares dos dependentes também participam das reuniões. Os participantes são orientados a seguir os 12 passos necessários para se construir vida nova, longe da dependência: admitir; confiar; entregar; arrepender-se; confessar; renascer; reparar; professar a fé; orar e vigiar; servir; celebrar e festejar.

Os agentes passam por um curso de formação com 20h de carga horária. No curso, são propostas reflexões refletidos temas relacionados à fundamentação bíblica e teológica que incentivam a vivência da espiritualidade em busca de um novo rumo para os dependentes.

Os agentes da Pastoral Carcerária da Paróquia São José realizam visitas pastorais à Penitenciária Dutra ladeira duas vezes por mês. Com a Bíblia na mão, eles percorrem as celas anunciando a Palavra de Deus mas, também, fazendo a escuta dos presos que precisam de atenção. Segundo o diácono Glêvison Felipe, assessor da Pastoral Carcerária na Paróquia e na Arquidiocese, a sede da Palavra de Deus é imensa nesses locais. “Os próprios presos se antecipam e nos pedem para refletir com eles sobre passagens bíblicas e rezar”.

Durante o ano, a Pastoral realiza celebrações, especialmente no Tempo do Advento, no Natal e na Páscoa. “A presença da Eucaristia nos presídios fortalece a espiritualidade das pessoas reforçando a fé em Deus e a esperança de uma vida nova”- afirma o diácono – “A nossa pastoral é uma pastoral de esperança –, pois aqueles indivíduos que aceitam a proposta para mudar sua trajetória de vida nos agradecem muito a oportunidade do encontro a Palavra”.

Testemunhar Cristo nas prisões, para o engenheiro  Glêvison Felipe, que concilia o diaconato com o trabalho e a família, é uma escolha que enriquece e qualifica a vivência de cada voluntário da Pastoral. “Quando a gente entra em contato com essa  realidade de tanto sofrimento e precariedade, a gente pacifica o coração.  Acredito que esse também será um importante fruto da Campanha da Fraternidade deste ano que tem por tema  “Fraternidade e superação da violência”, e o lema  “Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8). Com certeza, uma oportunidade para as pessoas conhecerem esse mundo e refletirem sobre a própria vida e sua presença na Igreja e na sociedade.

Opinião do Leitor – para nos ajudar a tornar o Jornal Opinião e Notícias ainda melhor, clique aqui