Você está em:

Paróquia São Domingos trabalha por uma cultura de paz


Voluntários realizam um Dia das Crianças especial para os filhos dos presos da Penitenciária Nelson Hungria

 

A ação social e pastoral da Paróquia São Domingos, na Arquidiocese de Belo Horizonte, tem resultado na conquista de um novo ambiente no bairro Nova Contagem. Por meio da Casa Comboniana Justiça e Paz, funcionários, voluntários e padres combonianos estão transformando a antiga realidade de violência em cultura de paz. Um desafio numa região onde só este ano 21 pessoas foram mortas.

 

200 pessoas receberam atendimento de saúde, 50 famílias de presos foram acolhidas, recebendo amparo espiritual e material, e 80 famílias de dependentes químicos frequentaram os encontros semanais

É na Casa Comboniana que são realizados os trabalhos de prevenção e superação da dependência química, de apoio aos familiares de presos e de ações de cidadania que envolvem toda a comunidade. A instituição nasceu, segundo o coordenador da obra padre Giorgio Padovan, com a missão de auxiliar na reflexão social com perspectivas de ações concretas que promovam a articulação e formação libertadoras e transformadoras, apoiando as atividades das pastorais Sociais da Paróquia São Domingos, por meio da Associação Comunitária a Solidariedade em Ação. Só no ano passado, 200 pessoas receberam atendimento de saúde, 50 famílias de presos foram acolhidas, recebendo amparo espiritual e material, e 80 famílias de dependentes químicos frequentaram os encontros semanais.

Na instituição são oferecidos atendimentos jurídico e psicopedagógico, além do reforço escolar. No local, também funcionam Espaço Esperança, Pastoral Universitária, Pastoral Carcerária, Pastoral da Criança, Pastoral da Juventude, Agentes Pastorais Negros (APNs) e biblioteca.

Padre Giorgio atribui os bons resultados dos trabalhos à partilha entre a Paróquia, a PUC Minas, a sociedade, e o poder público. “Uma união que reverte na conquista da cidadania pela comunidade, traduzindo-se em obras de infraestrutura como escola, asfalto nas ruas e rede de esgoto”. O sacerdote ressalta que assim como a comunidade participa das atividades na igreja, o inverso também ocorre. “Às vezes somos chamados para atividades promovidas pelas escolas da região e pela Polícia Miliar”. Segundo padre Giorgio, a PM desenvolve um importante trabalho na área de segurança, atendendo a reivindicação da comunidade. Pressionadas pela violência, mais de duas mil pessoas, a maioria jovens, saíram às ruas em 2013, pedindo paz, em passeata organizada pela Paróquia São Domingos.

O mais importante, contudo, no entender de padre Giorgio, é o aprendizado das  pessoas sobre suas riquezas e a oportunidade de partilhar com os outros aquilo que têm de melhor,  se envolvendo com a igreja missionária, a igreja dos pobres, como nos pede o Papa Francisco.