Você está em:

Paróquia e comunidade trabalham juntas para ajudar população

 

A Paróquia São Domingos, no Bairro Ribeiro de Abreu, participa intensamente da vida da comunidade. Entre as ações desenvolvidas, estão a parceria com a creche municipal Obras Sociais da Comunidade Santa Efigênia (Oscose) para crianças e adolescentes e a atuação junto ao Conselho Comunitário Unidos pelo Ribeiro de Abreu (Comupra), que realiza trabalho de reabilitação social e ecológica na Região.

A creche funciona em espaço cedido pela igreja. Recebe, diariamente, cem crianças da Comunidade Santa Efigênia e das outas oito comunidades da Paróquia, no contra turno escolar, ou seja, nos horários em que não estão na escola. Elas participam de oficinas de circo, gincanas, aulas de capoeira e de educação física e, também, têm aulas de dança, com professores voluntários. “A expectativa é que, em breve, seja firmado convênio para aulas de música”, anuncia a coordenadora administrativa, Shirley dos Santos Moreira.  “São atividades importantes, além do reforço escolar que também oferecemos, pois auxiliam o desenvolvimento motor, disciplinar, emocional e relacional das crianças”.

O trabalho é realizado por uma equipe formada por quatro monitores, uma cozinheira e uma coordenadora pedagógica, Luciana Silva de Castro, que, todo início de ano elabora o plano de ensino em parceria com o coordenador pedagógico da Prefeitura.

 A interação com as famílias também recebe atenção especial. Para incentivar a participação dos pais no trabalho desenvolvido com as crianças, a equipe da creche visita as casas dos alunos. “Procuramos saber qual é a real situação dos meninos e buscamos uma aproximação com os pais, pois a maioria ainda não tem muito contato com a entidade”. O objetivo é melhorar a relação familiar e a situação psicológica das crianças, oferecendo amizade e carinho o que, segundo Shirley Moreira, são carências muito importantes que precisam ser atendidas.

Já a socialização com a comunidade envolve a realização de festas juninas e no Natal. No fim do ano, os meninos escrevem cartinhas contando suas histórias de vida que são compartilhadas com moradores da região. “Eles não pedem determinado presente, isso fica a critério de quem decidiu apadrinha-los no Natal”, afirma Shirley. “As cartas são comoventes, próprias de crianças pobres e que vivenciam situações difíceis em casa”.

Reabilitação socioambiental

Pe. Magno Marciete

Uma das ações de maior visibilidade, segundo o pároco, padre Magno Marciete do Nascimento Oliveira, é o “6º Deixa o Onça Beber Água Limpa”, que será realizado no próximo dia sete de junho.  Uma alusão à preservação do Ribeirão do Onça, afluente do Rio das Velhas, que banha a região.

O evento acontece em três dimensões: cultural, com apresentações de grupos da região do Ribeiro de Abreu; de conscientização e informação sobre os aspectos que envolvem a vida do Rio, este ano, com o tema “Nosso esgoto”, e da participação da comunidade em diversos setores como a agricultura urbana, tratamento de resíduos e educação. Vários estandes irão funcionar, com equipes preparadas para informar a população sobre como atuar nessas áreas.

Por meio do Comupra e com o apoio da Paróquia, a comunidade já conseguiu, por exemplo, que a prefeitura transferisse 40 famílias de uma área de risco às margens do Ribeirão do Onça para moradias mais seguras. Mas a meta, segundo padre Magno, é que 1.500 famílias sejam reassentadas. A população também está mobilizada, buscando, junto ao poder público, meios para melhorar o acesso ao bairro.