Você está em:

Paróquia articula trabalho social e espiritualidade no cuidado com os mais pobres


Dom Joaquim mol participa da Semana Social organizada pelo Grupo Fé Política

As pastorais sociais da Paróquia Jesus Operário no bairro Petrolândia, em Contagem, cuidam da população das oito comunidades que funcionam em rede, ou seja: as igrejas de cada comunidade coordenam seus próprios trabalhos e se articulam com as demais por meio de uma secretaria geral. Embora seja anterior, o modelo é o mesmo proposto pelo documento da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), “Comunidade de Comunidades: uma nova paróquia”.

O trabalho social inclui o cuidado com a cidadania, o amparo aos mais pobres e o crescimento espiritual de todos; moradores e voluntários. Na Paróquia, funcionam o Grupo Fé e Política, a Sociedade São Vicente de Paulo, e as  Pastorais da  Sobriedade,  da Criança, da Juventude, e a Familiar. 

O grupo Fé e Política, por exemplo, procura informar a população a respeito do uso das políticas públicas e incentivar as reflexões sobre os critérios de escolha de candidatos, especialmente, nos anos eleitorais.  A 13ª Semana Social realizada pela paróquia, neste mês de maio, apresentou questões políticas relacionadas à realidade local, para serem refletidas à luz   da Campanha da Fraternidade – 2015, que tem como tema  “Fraternidade: Igreja e Sociedade” e lema “Eu vim para servir”.

 

Atuando de modo construtivo, a paróquia  tem sido referência para a comunidade na reivindicação de políticas públicas como transporte, segurança, energia elétrica

Além dos eventos organizados ao longo do ano, o Grupo procura  manter-se em sintonia com o setor social da igreja, conforme explica Irmã Celita, integrante do Grupo Fé e Política. “Quando tem um abaixo assinado em âmbito nacional, apoiado pela CNBB,  nos empenhamos para colher o máximo de adesões. Quando a questão é formação e informação, são realizadas as ações necessárias.  Buscamos sempre atuar em prol das causas que visam ao desenvolvimento da comunidade”. As iniciativas mais recentes foram a coleta de assinaturas pela realização do plebiscito sobre a convocação de uma Constituinte para a Reforma Política e para o Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.   Segundo Irmã Celita, na região da Paróquia Jesus Operário foram coletadas em torno de 2.500 assinaturas. 

Participam do Grupo 12 membros que trabalham com o apoio do pároco, padre Renildo Andrade Maia, e de toda comunidade. Nas reuniões mensais realizadas no centro Pastoral, os integrantes estudam os temas em discussão na igreja, no meio político e na sociedade, e compartilham com a comunidade. As reflexões mais recentes dizem  respeito  à precariedade   do setor de saúde , como a carência de médicos, e a quem recorrer para solucioná-la. A participação de membros do Grupo Fé e Política nos conselhos locais facilita a comunicação com o poder público. “Temos membros do grupo que atuam no conselho local de saúde. Eles  trazem questões, refletem, veem o que pode ser feito, e levam também nossas reivindicações para as reuniões” – conta Irmã Celita.

Atualmente, segundo ela, uma das necessidades da comunidade é a contratação de médicos para a UPA Petrolândia e para o Centro de Saúde. “Não é que o número de profissionais seja pequeno, mas a demanda cresce dia a dia, com o aumento da população” – observa a religiosa, lembrando que a região tem  em torno de 90 mil habitantes. Atuando de modo construtivo, a paróquia  tem sido referência para a comunidade na reivindicação de políticas públicas como transporte, segurança, energia elétrica. “A igreja  colaborou e ainda colabora de modo decisivo para a estruturação do bairro”, afirma Irmã  Celita.

A Pastoral da Sobriedade da Paróquia Jesus Operário é outro importante serviço da igreja na região. Ela se reúne na Comunidade São Luís Gonzaga, no bairro São Luís.  Um trabalho amplamente reconhecido pela população. Os agentes de pastoral  buscam apoiar e orientar o dependente químico e seus  familiares e, sobretudo, investir na prevenção. Uma ação que tem como pilares os conhecimentos da psicologia e da espiritualidade, uma herança deixada pelos padres combonianos que há três décadas começaram o trabalho social na Paróquia.

 

Uma vez no mês, as líderes da Pastoral da Criança visitam as famílias e acompanham tudo o que envolve o desenvolvimento das crianças com idades de zero a seis anos.  Mensalmente, a Pastoral também  realiza a Celebração da Vida. É quando as mães e  as líderes de pastoral  se reúnem para a pesagem das crianças. Elas também assistirem a palestras, em geral, com temas relacionados à saúde infantil – como os hábitos de higiene, o preparo e administração do soro caseiro,  em casos de desidratação-  e os cuidados que a  gestante deve ter durante a gravidez.  Segundo a coordenadora da Pastoral na comunidade São Luís, Maria da Penha Neves, essa atuação se dá por meio da espiritualidade e da psicologia pois , além das dificuldades materiais, o apoio emocional é fundamental.