Você está em:

Paróquia apoia comunidade com ação social e incentivo à cultura

 

A Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Vespasiano, reúne os moradores da região num bonito trabalho de apoio e incentivo à própria comunidade. Além de gerar emprego em um galpão de material para reciclagem, pessoas de todas as idades recebem carinho e cuidado por meio das oficinas de teatro, capoeira, circo e aulas de música, sessões de ginástica para a terceira idade e, ainda, ajuda emergencial a famílias que enfrentam dificuldades.     

A brinquedoteca para crianças de 4 a 10 anos de idade  recebeu o nome de Padre João Batista Libanio, SJ,  vigário da Paróquia falecido em  fevereiro deste ano. Teólogo reconhecido internacionalmente e colaborador do Jornal Opinião e Notícias, padre Libanio revelava sempre sua alegria de estar junto dessa comunidade, “na vida simples e colhedora junto com os paroquianos”, dizia ele.  Uma pedagoga especializada orienta as atividades em quatro salas temáticas  onde as crianças aprendem e se divertem com  brincadeiras, pinturas ,fantasias e leitura. A contação de história, os jogos educativos e os brinquedos não eletrônicos  são  equipamentos utilizados para aguçar e ajudar no desenvolvimento da criatividade dos pequeninos.
    

As crianças aprendem e se divertem com  brincadeiras, pinturas, fantasias e leitura

O galpão de reciclagem garante a sobrevivência de sete funcionários e de suas famílias.  Eles   organizam todo o material doado pelos paroquianos e por empresas e encaminham  os fardos já prensados à indústria de reciclagem. São caixas de papelão, papéis e embalagens de alumínio levadas pelos fiéis ao centro de coleta da Paróquia, ou recolhidos no local da doação em um caminhão adquirido para este fim.  A renda obtida, segundo o vice-presidente da Ação Social da Paróquia de Vespasiano (Aspas ), Rogério Pinto dos Santo,  é destinada ao pagamento dos salários dos trabalhadores e à manutenção da casa onde funciona a Aspas.

As famílias que passam por dificuldades financeiras recebem ajuda emergencial com a distribuição de cestas básicas, que ocorre todo último sábado do mês. Os alimentos são ofertados pelos paroquianos e por empresas da região. Duas assistentes sociais, que trabalham como voluntárias, fazem a seleção  das famílias a serem atendidas. “Há pouco tempo, 120 famílias estavam recebendo alimentos, agora, são 85, afirma Rogério.  “Aquelas que melhoraram a  renda deixam  de receber as cestas básicas para  dar oportunidade a outras mais necessitadas”.

As crianças e os jovens têm atenção especial  da comunidade. Com recursos da Lei de Incentivo à Cultura,  a Aspas  oferece oficinas de capoeira, para 30 alunos; de teatro, para 20 jovens, e de circo, para dez pessoas.  A Ação Social adquiriu 15 violões e contratou dois professores para  o curso de música, que conta com 40 alunos  distribuídos em três turmas de crianças e adultos, que fazem  aulas duas vezes por semana. “Todos estão muito animados e se dedicam muito”, afirma o vice-presidente da Aspas.

A oficina de artesanato é  uma importante oportunidade para as senhoras da comunidade se socializarem e aprenderem novas técnicas de bordado e outros trabalhos manuais.  Cerca  40 senhoras se reúnem todas as semanas para trocar  conhecimentos.  Parte do que o grupo produz é vendido no bazar da Paróquia que também recebe doações.  “ Primeiro verificamos que se as famílias que atendemos com as cestas básicas necessitam de algum objeto  do bazar, e o que sobra é colocado à venda com renda revertida para a manutenção das obras sociais”.