Você está em:

Papa reza pela América Latina

O Papa Francisco dedica as intenções de oração deste mês de julho aos cristãos da América Latina. O Santo padre está a poucos dias da viagem que fará ao Equador, Bolívia e Paraguai, do dia 5 ao dia 13 de julho.

Um dos países que o Papa visitará é a Bolívia e foi o bispo da diocese de El Alto, naquele país,  Dom Eugenio Scarpellini quem deu declarações à Rádio Vaticano sobre as expectativas dos bolivianos em relação à visita papal:

“Estamos contentíssimos, temos uma alegria imensa, estamos à espera do Santo Padre! Há um trabalho enorme de preparação, mas fazemo-lo com alegria! E esperamos que também o mundo inteiro possa colher desta visita do Santo Padre nos três países da América Latina uma mensagem grande de atenção para o povo crente. Um povo que ainda deve crescer na dignidade, na superação dos limites, das dificuldades, das crises e das injustiças que existem, mas um povo que olha com esperança o futuro.”

“ Ele quer vir para estar próximo de nós, para conhecer de perto as nossas preocupações mas também para trazer-nos esta alegria do Evangelho. Ler a nossa vida e sobre esta vida dar-nos a alegria, a esperança que o Evangelho nos anuncia. Quer ser, justamente, o pastor que vive no meio da gente, que não só conhece porque tem informação, mas quer olhar na cara a gente, quer ver os olhos, as expressões e colher destes rostos a nossa vida na Bolívia e nesta vida inserir a sua palavra, a sua mensagem de esperança e alegria.”
Segundo o programa da Viagem do Papa Francisco à América Latina destacam-se, no Equador, as Celebrações Eucarísticas no Santuário da Divina Misericórdia e no Parque do Bicentenário.

Na Bolívia, o Santo Padre celebrará Missa na Praça Cristo Redentor e participará no II Encontro Mundial dos Movimentos Populares.

No Paraguai, o destaque será a Missa na Praça do Santuário Mariano de Caacupé, o encontro com a sociedade civil, incluindo as comunidades indígenas e camponesas, e, ainda, a Missa no Campo Grande de Ñu Guazú, que terá orações na língua guarani.

Papa Francisco, quarto Pontífice a visitar a América Latina

O Papa Francisco será o quarto pontífice a realizar viagem pastoral à América Latina, após Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI. Para o argentino Bergoglio, será a segunda viagem ao continente onde nasceu, após a JMJ realizada no Rio de Janeiro em 2013, poucos meses após sua eleição à Cátedra de Pedro.

Paulo VI

As viagens dos Pontífices ao continente latino-americano foram inauguradas por Paulo VI em 1968, ao visitar a Colômbia, para abrir em Bogotá, em agosto, a II Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe (CELAM).

João Paulo II

João Paulo II esteve em 18 oportunidades na América Latina, visitando praticamente todos os países do continente. “A América Latina – disse o Papa Wojtyla – é um continente jovem e cheio de esperança, no qual não faltam gritantes contrastes que impõe aos setores menos favorecidos da população o preço de intoleráveis custos sociais”. Em 1998, esteve em Cuba como “Mensageiro da Verdade e da Esperança”.

Em três destas oportunidades, o Papa polonês esteve no Brasil. A primeira foi em 1980, quando percorreu 13 cidades em 12 dias. A segunda, entre 12 e 21 de outubro de 1991, quando visitou 10 capitais e beatificou Madre Paulina. Por fim, em outubro de 1997, quando permaneceu quatro dias no Rio de Janeiro para participar do II Encontro Mundial das Famílias. Sua última viagem ao continente latino-americano foi em 2002, três anos antes de sua morte.

Bento XVI

O Papa Bento XVI, por sua vez, realizou duas viagens ao continente com o maior número de católicos, sendo a primeira em 2007, ao Brasil, dois anos após ser eleito Pontífice. México e Cuba foram os destinos da segunda e última viagem, realizada entre 23 e 28 de março de 2012. Ratzinger foi a Cuba como “Peregrino da Caridade”. Encontrou Fidel Castro, deixou mensagens em defesa da liberdade, pediu maior espaço para a Igreja e condenou o embargo estadunidense à Ilha. “Que Cuba seja a casa de todos e para todos os cubanos”, afirmou em seu discurso ao despedir-se de Havana.

Papa Francisco

Como primeiro latino-americano a guiar a Igreja Católica, o Papa Francisco considerou sua viagem ao Brasil, entre 22 e 29 de julho de 2013, como “um grande presente” de Bento XVI, que havia apresentado sua demissão em 11 de fevereiro e era esperado para presidir a JMJ. Em sua visita de sete dias, o Papa celebrou no Santuário Nacional de Aparecida, visitou favelas, encontrou o episcopado latino americano e milhares de jovens de todo o mundo nas areias de Copacabana. No “continente da esperança”,  Bergoglio fez um chamado à Igreja para ser “agente de mudança social para um novo mundo”.