Você está em:

O que vale é a fé agindo pelo amor (Gl 5,6)

Adentrar no mistério da fé propicia a cada um de nós uma mudança de vida com reflexos incalculáveis na dimensão pessoal, comunitária e social.

O mistério da fé tem sua origem no dom de Deus que oferta na história humana não alguma coisa, mas a Si mesmo, o seu Amor doação. Deus se rebaixa para elevar-nos à condição de seus filhos queridos no Filho Amado. A fé inicia-se com a acolhida deste Dom a tal ponto de confiá-lo a própria vida com tudo o que ela comporta.

 

O Santo João Paulo II, na sua Encíclica Redemptoris Mater, contemplando a fé modelar da Mãe e discípula Maria, sua resposta ao dom de Deus, ressalta a importância de fazer desta resposta um constante caminho, exercício, o que ele chama de peregrinação na fé (RM 17). Ao fazermos esta peregrinação na fé, o Amor de Deus manifestado em Jesus que nos abarca e nos faz abandonar-nos n’Ele, se torna um eixo para nós capaz, de forma não teórica, mas vivencial, de mudar nossa vida, nosso modo de compreender as questões, as pessoas, as lutas e nos empenha concretamente a também nos doarmos – a fé agindo pelo amor. Imbuídos deste eixo, não faltará no nosso empenho frente às contrariedades da vida, motivação.

 

o Amor de Deus, dom acolhido e testemunhado, é certeza de uma mudança e transformação do coração, com reflexos em âmbitos comunitários e sociais

Importante, ainda, sublinhar que este eixo da fé possibilitará uma mudança comunitária e social, como nos recorda o Papa Francisco na sua Exortação Apostólica Evangelli Gaudium. A fé, como dom e resposta, opera uma transformação nestas duas dimensões da vida, mostrando, assim, toda a sua força e relevância na construção de um mundo melhor (EG 181-216). Isto nos faz pensar em nossa responsabilidade como homens e mulheres de fé, pois muitas vezes ficamos com complexo de inferioridade frente ao mundo quando não podemos oferecê-lo “ouro e prata” e dessa forma pensamos ser irrelevante o papel da nossa missão. Ao contrário, ajudar para que o mundo reencontre a vivência da fé, é oferecer um tesouro sem proporções, pois através desta oferta, contextos imersos na falta de valores, na violência assustadora, na rede avassaladora e crescente das drogas, nas injustiças contra os pequenos, no desvio do bem comum para o uso ilegal e vergonhoso de alguns, podem ser transformados. Mais uma vez é a fé agindo pelo amor. Este desconcerta, descentra, destrói e reconstrói. É a Loucura da Cruz, eficaz, libertador, oblativo.

Assim, o Amor de Deus, dom acolhido e testemunhado, é certeza de uma mudança e transformação do coração, com reflexos em âmbitos comunitários e sociais. Sejamos homens e mulheres que se fazem transparência deste Amor para que cada vez mais tantos outros irmãos e irmãs nossos também respondam na fé a este dom. Dessa forma, o nosso mundo tão degradado e marcado pelo mal encontrará forças e poderá se encantar pelo caminho do bem.

 


 

 

 

 

Pe. Evandro Campos Maria
Coordenador do curso de Teologia do Instituto
Dom João REsende Costa