Você está em:

O modo de ser de Jesus desperta a fé Nele e na vida

 

Cada um de nós está sempre à procura de algo, de uma experiência nova, que faça a diferença em nossa vida, mas nem sempre temos com clareza o que queremos. Ser cristão não é uma decisão fácil e nem se decide de imediato, mas exige reflexão.  Nesse sentido, a fé significa buscar o conhecimento e a compreensão daquilo em que se crê, tendo em vista a experiência do encontro com Deus.

Trata-se, primeiramente, de uma busca pessoal. Ninguém crê pelo outro; ninguém pode dizer ao outro que fez com que ele acreditasse na vida. Ninguém confia ou acredita em nosso lugar. A fé elementar, ou seja, do ser humano, crê no valor da vida humana, uma fé muito comum a nós, homens e mulheres, que encontramos nos caminhos de nossa existência.

 

A transmissão da fé fundamental na comunidade cristã não consiste na transmissão de conteúdos, nem doutrinação, mas na transmissão da fé-confiança elementar; no crer em si próprio como ser humano, criatura de Deus criada à sua imagem e semelhança

Trata-se da confiança fundamental na vida que é provocada por Jesus, por sua presença, por aquilo que ele realiza, por sua bondade e proximidade. Jesus sempre diz: “a tua fé te salvou”.

O sentido mais íntimo da coragem humana de ser e acreditar na vida está enraizado nela mesmo, no fundo de cada pessoa, aquele lugar que ninguém fora de si mesmo atinge.

Pelo agir de Jesus, a fé elementar transforma-se em realidade teologal. Algo que diz respeito a Deus e que vem dele.  Jesus viveu e conviveu no meio do povo, foi até aos mais necessitados, trabalhou com eles o resgate da dignidade humana, falou do amor do Pai e sobre a vontade do Pai. Desse seu agir pode-se deduzir que a transmissão da fé fundamental na comunidade cristã não consiste na transmissão de conteúdos, nem doutrinação, mas na transmissão da fé-confiança elementar; no crer em si próprio como ser humano, criatura de Deus criada à sua imagem e semelhança, amada de Deus, morada do Espírito que move e conduz a sua vida e por isso é um ser de coragem, de também reconhecer que o irmão é tudo isso. Essa é uma fé antropológica, que se transforma em Fé no Pai de Jesus reconhecido como o Cristo, o ungido, o Ressuscitado.

Esse é, hoje, o maior dos desafios na tarefa de evangelizar. Começar pelo mais elementar. Transmitir aos outros a coragem de ser, de se reconhecer amada de Deus. Falar aos outros como Deus fala e deseja fazer comunhão com elas. Jesus Cristo revela que Deus é Pai e, levado pelo seu grande amor, fala aos seres humanos como seus amigos, e convida à comunhão com ele. Assim também nós, devemos falar aos outros tendo Jesus como modelo, convidando a todos à comunhão, à inclusão, à vida de amor fraterno.

Crer é acreditar, é entregar o coração nas mãos de Deus. É confiar e compreender. Na caminhada de fé cristã, uma das tarefas é o conhecimento da fé que introduz a pessoa na compreensão e experiência do mistério do Deus revelado por Jesus Cristo. A confiança em Cristo nos ajuda no encontro pessoal com ele. Da fé elementar surge a possibilidade para que brote a fé em Jesus Cristo. Ele nos ajuda a acreditar na vida e faz que a fé brote do cerne do mais íntimo do nosso coração.

Neuza Silveira de Souza
Coordenadora da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de BH