Ver  “o copo meio cheio ou meio vazio” não deveria, em principio, servir para separar pessimistas de otimistas. Deveria ser somente uma questão de perspectiva. Ou seja, simplesmente remete à profundidade, ângulo de visão, enquadramento, dentre outros conceitos de cada um em um dado momento.

Afinal de contas, a altura da água no copo tende a variar e, considerando que cada um tem uma perspectiva diferente e perpetuamente mutante da realidade, o mesmo copo, com água pela sua metade, pode ser visto como meio cheio ou meio vazio.

Em algum momento, parece que ver o copo meio vazio virou pecado. Coisa de pessimista. De quem vê as coisas pelo lado negativo. Ser pessimista parece ter virado defeito. E ser otimista, qualidade. Independente da situação, ambiente, momento, ou perspectiva.

De repente, a virtude passou a morar na mente daqueles que veem o copo meio cheio. Naqueles que têm disposição para encarar tudo pelo seu lado positivo e esperar sempre por um desfecho favorável, mesmo em situações muito difíceis, e sem qualquer ação ou razão concreta que contribua para a melhoria.

 Daí que, dia sim, dia não, alguém é acusado de ver o copo meio vazio. E, como ver o copo meio vazio não é qualidade, discute-se a percepção do interlocutor, ao invés de se investigar as razões pelas quais a água esta na metade do copo.

São rios de tinta, muito esforço, e bastante tempo são gastos discutindo um paradigma que, afinal, não tem qualquer valor prático. Enquanto isso, a água dentro do copo continua onde sempre esteve: na metade do copo.
Valeria mais a pena abordar as questões de outra maneira. Focar no problema, e não nos interlocutores. Não perder tempo determinando se o copo está meio cheio ou meio vazio.

Mais que tudo, o importante é saber o que o nível da água no copo significa. Basta começar simplesmente reconhecendo que o copo está pela metade. E na metade ficará se nada for feito. E, após o reconhecimento do fato, adicionar a perspectiva. Perguntar se, afinal de contas, estamos ou não satisfeitos com um copo pela metade.

Pessimista não é quem vê o copo pela metade. É quem fica satisfeito com a metade do copo. Sem aspiração, sonho, ambição de melhora. O pessimista faz pacto com a mediocridade.

 

Elton Simões
Formado em Direito (PUC)
Administração de Empresas (FGV); MBA (INSEAD)
Mestrado em Resolução de Conflitos (University of Victoria)