Você está em:

Não se pode falar de Deus sem falar do homem

 

Conversando sobre a fé como dom de Deus, vamos percebendo como se torna importante ir nos colocando no seguimento de Jesus. Este seguimento, por si mesmo constitui já confissão de fé em Jesus. Seus ensinamentos nos inspiram e nos colocam à frente do seu projeto exigindo-nos compromisso, pois Jesus quer seguidores comprometidos e que se coloquem no seu seguimento sem reservas. Entrar no caminho de conhecimento de sua identidade é processo cujo amadurecimento exige duração e convívio com ele.

Assim como Jesus foi realizando seus ensinamentos, deixando sua mensagem por onde andava, assim também nós somos chamados a ir construindo nosso caminho levando conosco a mensagem de Jesus Cristo que não se separa da vida. Vamos percebendo a realidade na perspectiva de Jesus e dos Apóstolos. Nesse sentido podemos assumir os desafios vindos da nossa realidade contraditória e confrontá-la com o Evangelho.

A realidade em que vivemos se encontra permeada pelos atos de injustiça, desigualdades e desvalores. Olhando para essa realidade onde a injustiça não provém só do econômico, mas também do social, político e cultural, somos convocados à prática da solidariedade, da vida em comunhão e participação em favor de todos aqueles que clamam por justiça.

 

A obra de Deus depende do homem para sua realização Quem adere ao projeto de Deus, decide-se a favor de caminhar com Jesus, anuncia a sua mensagem fazendo-se discípulo dele, está contribuindo para a concretização de sua obra

Como cristãos batizados e impregnados do perfume de Cristo devemos transitar por esta realidade e descobrir qual é a mensagem que deve ser anunciada. O documento “catequese Renovada” que nos orienta para esse agir nos diz que para todos os homens a Igreja tem uma resposta: Cristo, o Redentor do Homem. Ele não se substitui ao homem, mas se oferece como caminho da plena realização humana e da vida eterna. Nele temos a salvação, obra de Deus que requer a ação do homem.

A obra de Deus depende do homem para sua realização. Quem adere ao projeto de Deus, decide-se a favor de caminhar com Jesus, anuncia a sua mensagem fazendo-se discípulo dele, está contribuindo para a concretização de sua obra.

Mas, como se constituem discípulos de Jesus?

Busquemos esses ensinamentos na Palavra. O que o Evangelista Lucas nos diz sobre quem são os discípulos de Jesus?  Encontramos esses ensinamentos em Lc 10, 2-12, além de outras passagens. Vejamos:

Jesus, ao enviar seus discípulos em missão os instrui dizendo: rezem ao Senhor pedindo-lhe que envie operários para trabalhar no projeto do Pai; ao ir para a missão não sejam violentos, mas ajam como cordeiros; anunciem o Reino de Deus despojado do poder, da autoridade, mas com humildade; sejam agentes de paz; sejam precursores no anúncio da missão preparando bem o caminho do Senhor. Se encontrar alguém que não deseja ouvi-los, vá em frente.

Os discípulos são enviados a todos que desejarem receber a mensagem. Na relação de convivência com o outro vão construindo amizades fraternas, envolvendo-se com a vida do outro, assimilando sua cultura e seus problemas e assim, trabalhando para que sejam rompidas as desigualdades existenciais.

Continue sua leitura em casa. Busque nos Evangelhos como cada comunidade vai se identificando com as características de um bom discípulo, como seus membros vão se tornando autênticos anunciadores da Mensagem de Jesus, colocando-se como colaboradores na obra da criação e manifestação do Reino anunciado por Jesus.

 

Neuza Silveira de Souza
Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de Belo Horizonte