Você está em:

Sugestões Litúrgicas
 

Deus é misericórdia infinita, suave é o Senhor! Aos seus filhos oferece perdão, acolhida e reconciliação e alegra-se com a volta deles a sua casa. Em Jesus Cristo somos reconciliados com Deus, somos convidados a uma vida nova em conformidade com o Evangelho.
 

Espaço Litúrgico

Celebrar a Eucaristia é participar da alegria da reconciliação e da misericórdia oferecida pelo Pai. Cuide-se bem da ornamentação do espaço celebrativo. Nele alguns sinais de alegria ajudarão os fiéis a imbuírem-se do mistério celebrado. A cor lilás, mais suave que o roxo, nas vestes e toalhas e alguma flor junto ao altar ou ambão. Observe-se contudo, que trata-se de um pequeno sinal, ainda não é a plenitude da alegria pascal!

Ritos Iniciais

Celebramos antegozando a alegria pascal, pois já vislumbramos a ressurreição no filho que estava morto, mas que torna a viver a vida nova. O canto de entrada ajuda-nos nesta compreensão reacendendo em nós a esperança pela ressurreição e o desejo de fazermos convívio com Deus em sua casa. “Fiquei foi contente”, do Cd Liturgia XIV – Quaresma, Anos B e C, é uma excelente opção para acompanhar o rito da entrada.

 

Rito da Comunhão

Converte-se é reconhecer-se humano e reconhecer que a misericórdia de Deus nos acolhe e nos impulsiona a continuar o caminho, vencendo os desafios e adversidades. Reconciliamo-nos uns com os outros e voltamo-nos para Deus. Atenção especial seja dada à oração do Pai Nosso, tão diminuída em algumas de nossas comunidades. Há algumas versões desta oração que facilmente podem ser encontradas nos Cds de Campanhas da Fraternidade passadas, em sites na internet e cantadas por nossas comunidades. Evite-se versões que distorcem essa oração no que diz respeito ao seu conteúdo bíblico, teológico e litúrgico.

 

Tânia da Silva Mayer
Mestranda em Liturgia pela Faculdade Jesuíta
de Filosofia e Teologia (FAJE)