Você está em:

Liturgia Dominical (síntese e sugestões)

 

 Síntese Litúrgica —————————————————————————–

 

 5º Domingo do Tempo Comum – Ano A

O cristão, sal da terra e luz do mundo

Cor: Verde  09/02/2014

Textos Bíblicos – Is 58,7-10 // Sl 111 // 1Cor 2,1-5 // Mt 5,13-16

Diante do Senhor, todos são convidados a meditar sobre a sua Palavra, misericórdia,  bondade e sobre o  grande amor de Deus por nós. Neste domingo, Jesus diz o que espera de cada um. Indica a nossa missão de seus filhos no serviço do Reino, no momento presente de nossa história, como sal e luz do mundo.

As leituras DESSE 5º DTC nos conscientizam de que a fé cristã é para ser vivida no dia a dia. E sobre isso, o Evangelho é bem claro: a fé cristã está inserida na realidade da vida pessoal, familiar, comunitária e histórica de todos. Por isso, o que diz respeito à vida, na sua totalidade, e em todas as suas relações sejam políticas, econômicas, culturais e religiosas, está ligado diretamente à vida de cada pessoa.
 

Com sua fé, esperança, amor, inteligência, fortaleza, perseverança o cristão deve humanizar o mundo em que vive

Por essa mesma razão, a vida cristã precisa ser vivida e não apenas professada. No Evangelho de hoje, Jesus usa as figuras do sal e da luz para assim definir a nossa vocação: inseridos no mundo em que vivemos, seguindo os caminhos da fé, nos passos de Jesus, sempre fiéis ao projeto de Deus Pai, seremos sal e luz para transformar toda realidade de injustiça e morte, em graça e amor, conforme o desejo de Deus.

O sal conserva, tempera e dá sabor à comida. Seguindo Cristo, o cristão tem por vocação transformar, melhorar, dar sabor e evitar a deterioração da história humana. Com sua fé, esperança, amor, inteligência, fortaleza, perseverança deve humanizar o mundo em que vive, livrando-o das trevas do egoísmo, da injustiça e da corrupção.

Assim como o sal dá sabor aos alimentos, também os discípulos podem levar a comunidade a sentir o sabor da Palavra. Colocar no seu agir, no seu pensar e no seu falar os sentimentos de Cristo; deixar-se iluminar pela luz de sua Palavra e exemplo e, depois, irradiá-los ao mundo.

Além do sabor, o discípulo do Reino também é sinal de luz. Onde está um cristão, aí deve estar a luz de Cristo. Nesse sentido, da mesma forma que uma lâmpada não resplandece a sua luz sem estar conectada a uma fonte de energia, a nossa missão cristã somente se torna luz para o outro, se ligada ao Cristo Jesus. A luz que o cristão irradia é reflexo da luz de Cristo.

A luz dissipa as trevas, ilumina e orienta as pessoas. Assim, o fiel é luz porque trilha o caminho da verdade, buscando sempre o Senhor, e manifestando-o ao mundo, mediante as suas boas obras. Como discípulos e discípulas do terceiro milênio, cabe a nós conservar e manter viva a chama da consciência da presença de Jesus Cristo, nosso Salvador, em nosso meio, e, de maneira especial, na celebração da Eucaristia – memorial da sua morte redentora e da sua gloriosa ressurreição.

 

 
Sugestões Litúrgica————————————————————————————–

  

5º Domingo do Tempo Comum

Ao preparar a celebração deste domingo, seria oportuno que a  equipe de acolhida ao receber a assembleia, na entrada da igreja, disse a seguinte frase,  do Evangelho a ser lido na missa hoje: “ você é sal da terra e luz do mundo”.


Ritos Iniciais

O canto de entrada tem a função de inserir a assembleia no mistério celebrado, de congregar, e não de receber o presidente da celebração e seus auxiliares. Sendo assim, após a munição, entoar  o canto do “Glória” com toda a dignidade que ele  merece.


Celebração da Palavra

Após a homilia, abençoar o sal e as velas com as orações  do livro : “Dia do Senhor”, de Marcelo Guimarães e Penha Carpanedo , pag. 86 e 87.
 

O rito do sal

Bendito sejas, Deus da vida, pelo sal que dá sabor e conserva os alimentos. Derrama teu Espírito sobre ele e realiza em nossa vida a palavra do Senhor de sermos, também nós, sal da terra. Por Cristo, nosso Senhor. Amém
 

Benção das Velas
 

Diz, primeiro: “Bendito sejas, Deus da vida, por teu filho Jesus Cristo, luz de nossas vidas, energia de nossas comunidades”.
E enquanto o presidente e os ministros colocam o sal na boca dos fiéis e entrega uma vela acesa, canta-se o canto do padre Zezinho “Sal da Terra” ou o refrão meditativo. Em pé, com a vela acesa,  professa-se a fé que recebemos da mãe igreja.
 

Celebração Eucarística

O prefácio é o prefácio do Tempo Comum I.
Antes da benção final, recordar os fiéis o que disse o profeta Isaías.  Como gesto concreto , a comunidade pode entregar , na igreja,  alimentos não perecíveis, fraldas geriátricas e roupas em condições de uso para a próxima celebração, para serem doados as famílias carentes.
Que a benção final seja solene….ide em paz que o Senhor vos acompanhe; sejam luz e sal da terra.
 

Pe. Edson Pimenta
Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São Miguel