Você está em:

Jovens se reúnem para tarde formativa desenvolvida pelo projeto Guardiões do Patrimônio Cultural

O sábado, dia 1º de outubro, foi de muito aprendizado para o grupo de jovens que integram o projeto Guardiões do Patrimônio Cultural, da Arquidiocese de Belo Horizonte. Eles conheceram mais sobre o patrimônio histórico-cultural da Capital Mineira, em aula no Muquifu – Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos . O padre Mauro Luiz da Silva é o curador do Museu. Na aula do último sábado, os alunos partilharam reflexões com o professor Dener Chaves, da PUC Minas.

O projeto Guardiões do Patrimônio Cultural  é promovido pela Arquidiocese de Belo Horizonte a partir da Pastoral da Cultura e da PUC Minas, sendo  uma oportunidade para jovens entre 15 e 25 anos. O objetivo   é propiciar às novas gerações o cuidado com os bens culturais e os princípios do bem-viver, bem como capacitar jovens para que possam atuar em rede, criando, semeando e cultivando soluções para suas próprias comunidades. Os jovens terão acesso gratuito às aulas, a todo o material de estudos e ainda receberão uma bolsa durante 6 meses.

Preservação do patrimônio

A ação educativa, aprovada na Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, tem o objetivo de atuar para a formação civil e cidadã de jovens sobre a importância da preservação do patrimônio cultural tangível e intangível de Belo Horizonte. O início das aulas está marcado para o dia 6 de agosto e o curso terá duração de um semestre, com aulas ocorrendo aos sábados, as quais serão intercaladas com visitas técnicas aos equipamentos culturais da cidade.

O Museu Muquifu fica na Rua Santo Antônio do Monte, 708 – no Bairro Santo Antônio, em Belo Horizonte.