Você está em:

Irmãs Paulinas comemoram 100 anos de fundação

O lançamento do Livro de Orações marcou o início das celebrações dos100 anos de fundação da Família Paulina, no Brasil

A Congregação das Filhas de São Paulo nasceu do coração do Bem-aventurado Tiago Alberione, dentre outras Congregações e Institutos Seculares: a Família Paulina. Foi no dia 15 de junho de 1915, que ele abriu o Laboratório feminino, na Praça Cherasca, em Alba (Itália). Data que marca o início das Irmãs Paulinas, como são mais conhecidas. Um carinhoso “apelido” dado pelo próprio povo, nos seus primórdios, por perceber naquelas primeiras chamadas à vocação um estreito laço com São Paulo, a quem o Bem-aventurado Tiago Alberione atribuía a fundação dessa Congregação.

Dentre aquelas primeiras jovens, uma chamou a atenção de Tiago Alberione: Maria Teresa Merlo. Embora fosse trabalhadora, excelente costureira, a saúde frágil, a impediu de ingressar em duas outras Congregações, pois, desde muito cedo, nutria o desejo de ser toda de Deus. Alberione conhecia o irmão de Teresa, Constâncio Leão, pois era seminarista e fez-lhe o pedido: “Sua irmã costura muito bem, e eu estou precisando de uma costureira. Peça a sua mãe que a deixe vir”. Na sacristia da Igreja dos santos Cosme e Damião, acompanhada pela mãe, Vicenza Merlo, Teresa encontrou-se com padre Alberione, era 27 de junho de 1915.

O sacerdote provavelmente falara sobre o trabalho inicial, seria na costura. Mas, o objetivo maior era uma Congregação de Irmãs que trabalhariam pela boa imprensa. Teresa disse sim… Após a Consagração Religiosa, Teresa passou a ser chamada de Tecla Merlo, considerada a primeira discípula do Apóstolo Paulo – por seus textos apócrifos. Foi, também, a primeira Superiora da Congregação.

 

Aquela jovem simples, com muita fé, aceitou o convite de Deus através do padre Alberione. Com o Sim, Teresa assumiu o novo carisma que Tiago recebeu de Deus, de trabalhar pelo Evangelho com a vida e através dos mais modernos meios de Comunicação Social.

 

O Brasil foi a primeira terra de missão fora da Itália. Em 21 de Outubro de 1931, diante do mapa mundi, o fundador da Família Paulina, que tinha São Paulo como santo inspirador, escolhe a cidade de São Paulo como o lugar que inauguraria mais um passo em sua intuição carismática, além-fronteiras. Dolores Baldi, com 21 anos de idade,  e Stefanina Cillario, 19 anos, mesmo em meio às dificuldades, iniciaram o trabalho como tipógrafas no setor de acabamento da gráfica dos Padres Paulinos. Após mudarem-se para um local maior instalaram a primeira gráfica. Em dezembro de 1934, foi publicada a primeira edição, em português, da Revista Família Cristã. Daí por diante a missão expandiu-se e as vocações brasileiras surgiram.

Hoje são aproximadamente 2.267 Religiosas presentes em 50 países. Contam com a colaboração de Leigos no trabalho pela Palavra de Deus, por meio de livros, revistas, música, audiovisuais, Livrarias, Internet… Em Belo Horizonte, contam com duas livrarias localizadas na Rua Curitiba e na Av. Afonso Pena, além do Serviço de Animação Bíblica (SAB). Com grande alegria celebra-se este centenário de fundação.

Resta apenas agradecer. Gratidão é uma palavra muito cara ao Apóstolo Paulo que convocava seus destinatários: “sede agradecidos”. Por isso, as Paulinas rendem, neste ano de 2015, em primeiro lugar, o seu louvor de gratidão a Deus que desde a fundação mostrou desejar a existência da Congregação da Pia Sociedade Filhas de São Paulo, mesmo em meio aos desafios da época presentes lá em Alba (Itália). Cem anos de história, cem anos de uma busca profunda de cada pessoa que acreditou e se associou a este carisma: viver envolvida pelo Cristo que é o Mestre e se faz Caminho, Verdade e Vida. Ele mesmo a meta do nosso Viver, e comunicar o Evangelho, nosso alimento, por meio da Palavra e da Eucaristia.

Por todo o bem realizado no mundo inteiro, a lugares mais remotos onde não imaginaríamos chegar, muitos frutos foram colhidos, resultados de uma incansável entrega realizada muitas vezes no escondimento. No entanto, o próprio Deus que nos chama e nos envia sabe bem cada passo, cada busca, cada lágrima, cada luta, cada sorriso. Por todo o caminho percorrido entre o miserere e o magnificat damos graças a Deus; pelas Irmãs que doaram sua vida até o fim, pelos colaboradores que se somaram a essa missão, pelos interlocutores da missão. Por todos que se fazem nossos irmãos e irmãs em Cristo, ao Povo de Deus, à Igreja, com o coração transbordante de alegria, temos apenas uma palavra que expressa nosso setimento: GRATIDÃO

Irmã Roberta Carla Ferreira, Fsp
Congregação: Irmãs Paulinas