Você está em:

Grupo de Fé e Política – Paróquia Santa Margarida Maria Alacoque

Promoção humana

O compromisso com  a ética e a cidadania  é  o que dá credibilidade ao  Grupo de Fé e Política da Paróquia Santa Margarida Maria Alacoque. Sempre que surgem questões de interesse  geral como educação, transporte e saúde, seus integrantes mobilizam a população para  que as decisões beneficiem o maior número possível de moradores.

 

No momento,  todos estão envolvidos com as modificações que a BHTrans – empresa que administra o trânsito em Belo Horizonte – pretende fazer na linha de ônibus do bairro Jardim Montanhês, onde a paróquia está localizada.

 

A urgência desta última demanda, segundo  Luzia do Carmo Barcelos, integrante do Grupo,  interrompeu  outro projeto que previa reuniões com a população e com   movimentos  da Paróquia  para  a divulgação de informações sobre o funcionamento e a importância da participação nos grupos de fé e política. Ela que empresta à comunidade os conhecimentos adquiridos com a graduação em Ciências Contábeis e Administração de Empresas, na PUC Minas, e na pós-graduação em Auditoria, pela Universidade Gama Filho, afirma que  não desistiu, e que o projeto será retomado.

A militância em favor do bem-estar comum  não para por aí. O grupo  está empenhado há alguns anos em cobrar da prefeitura  a construção de  uma Unidade Municipal de Educação Infantil (UMEI). Segundo Luzia  Barcelos,  as obras já estão começando no terreno destinado à escola. “A gente não  pode deixar de agir. É preciso estar sempre em contato com o poder público, colocando as nossas necessidades, pois todas as comunidades têm suas demandas e se não formos insistentes, corremos o risco de ficarmos esquecidos”, ensina.

 

 

Nosso trabalho é apartidário, pois a Igreja é de todos”

 O grupo de  Fé de Política  também trabalhou  para a implantação  do projeto Brasil Alfabetizado,  no bairro Jardim Montanhês . É um curso para  adultos que não completaram as primeiras séries do ensino fundamental  ou que esqueceram parte do conhecimento adquirido, embora tenham concluído os estudos dessa etapa. De acordo com Luzia Barcelos,  vários alunos do projeto têm sido encaminhados  para o Ensino de Jovens Adultos (EJA),  abrindo possibilidade para que ingressem em cursos profissionalizantes.

 

Um dos integrantes do grupo de Fé e Política  também é membro do Conselho de Saúde Local e do Conselho  Distrital de Saúde. Sempre atento  a questões relacionadas ao setor, quando necessário, ele cobra a implentação de políticas públicas em defesa da população, como nos surtos de dengue e leishmaniose ocorridos  em passado recente.

 

Embora  algumas iniciativas dependam de  recursos financeiros, Luzia Barcelos afirma que só são aceitas verbas do executivo, isentas de barganhas eleitorais. “Não recebemos verbas parlamentares porque não queremos nos comprometer com políticos. Nosso trabalho é apartidário. Consideramos que a Igreja é de todos  e que não podemos exercer nossa influência em favor de candidatos ou partidos”, conclui.