Você está em:

Estrada Real pode ser reconhecida como rota cultural pela Unesco

A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) enviou um documento ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) com o objetivo de solicitar reconhecimento internacional da Estrada Real. O documento será encaminhado à Unesco, para que a instituição reconheça o percurso como rota cultural, mesmo título concedido ao Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. A informação foi divulgada pelo blog Miramundos, vinculado ao site do jornal O Globo e especializado em expedições, a partir de entrevista realizada com um dos fundadores do Instituto Estrada Real, Eberhard Aishinger. A expectativa é que a Unesco dê uma resposta à solicitação até 2015.

A Estrada Real é um conjunto de caminhos, totalizando 1,6 mil km, que eram percorridos na época do Brasil colonial. Hoje, esse conjunto de rotas recebeu sinalização própria, entre outras adequações, em 199 municípios de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, para receber turistas atraídos pelos bens históricos, paisagísticos e culturais. Recentemente, foi anunciada a criação do Caminho Religioso Estrada Real (Crer), percurso que vai ligar o Santuário Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais, ao Santuário Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil.