Você está em:

Encontrar Jesus no Evangelho de João (4)

O  pão  nosso  dá-nos  hoje

 

 

Nesta edição prosseguimos com os artigos sobre os símbolos no Evangelho de João, dando atenção especial ao sinal do “pão”,  que o evangelista usa para mostrar quem é Jesus para nós. (Preparemos o ambiente com uma Bíblia, algumas gravuras que falam de fome e um pãozinho para cada participante).

O pão nosso de cada dia

“Pão” tem diversos sentidos na Bíblia. O primeiro em que se pensa é o pão, nosso alimento de cada dia. Ensinando o “Pai-Nosso”, Jesus nos ensina a pedir o pão material. É interessante observar que Jesus nos ensina a pedir o “pão de cada dia”. Basta para hoje o sustento diário. Isto nos faz lembrar a passagem do povo pelo deserto, quando Deus fez chover o maná do céu e disse: “Eu farei chover do céu pão para vós. Cada dia, o povo deverá sair para recolher a porção diária” (Ex 16,4). Também podemos observar que pedimos o pão nosso, não só o pão para mim.

Este pedido já nos confronta com o problema da fome que atinge tanta gente. Pedindo o pão nosso, estamos diante da exigência de trabalhar para que todos tenham seu pão, seu alimento diário.

O Pão da Palavra, a Torá

Na Bíblia, a Palavra de Deus, a Torá, é chamada “pão”.
Quando Jesus foi tentado no deserto e ficou com fome, o diabo lhe disse: “Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães!” Jesus respondeu: “Não se vive somente de Pão, mas de toda palavra que sai da boca de Deus” (Mt 4,3-4).

Lemos, no Profeta Amós: “Eis que virão os dias em que enviarei fome sobre a terra, não uma fome de pão, nem uma sede de água, mas a fome e sede de ouvir a Palavra do Senhor” (8,11).

No livro de Ezequiel lemos que, numa visão, Deus disse ao profeta: “Filho do homem, come o que tens diante de ti. Come este rolo e vai falar à casa de Israel”. Eu abri a boca e ele me fez comer. Eu o comi, e era doce como mel em minha boca (Ez 3,1-3).

O próprio Jesus é o Pão Vivo

O Evangelho de João aborda todo o capítulo 6 sobre Jesus, Pão da Vida.
Jesus disse: “Em verdade, em verdade, vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu, mas o meu Pai é quem vos dá o verdadeiro pão do céu, porque o pão de Deus é o pão que desce do céu e dá vida ao mundo”. Disseram os discípulos: “Senhor, dá-nos sempre deste pão”. Jesus replicou: “Eu sou o Pão da vida. Aquele que vier a mim não terá fome, e aquele que crer em mim jamais terá sede” (Jo 6,32-35).

Vamos refletir

Depois destas leituras, vamos refletir o que quer dizer que Jesus, a Palavra de Deus, é nosso verdadeiro Pão. A pessoa de Jesus, seus ensinamentos, suas atitudes, sua coragem, seus sofrimentos são alimento para nós. Como?
Este alimento dá vida eterna, diz Jesus. Dá saúde à alma. Dá força para viver a Palavra. Você tem experiência disto?

Jesus multiplicou os pães    

Lemos em Jo 6,1-13 que Jesus multiplicou os pães para saciar a fome do povo. Vamos ler, agora, este trecho. (Tempo para ler e comentar o texto).
Jesus alimentou cinco mil pessoas e sobraram 12 cestos. Doze, na Bíblia, significa plenitude, abundância de alimento. Aqui temos uma referência à Eucaristia. Podemos dizer que, até hoje, comemos na Eucaristia do pão daqueles cestos que sobraram. A Eucaristia é também o Pão Nosso de cada dia.

Vamos refletir

O que significa a Eucaristia para mim?
Comemos o “Pão da Palavra” na primeira parte da Missa. Comemos o “Pão – Corpo de Cristo” segunda parte.
A Eucaristia tem um lugar central na nossa vida? Podemos ficar sem freqüentar a Mesa da Eucaristia? Vamos comentar.

A Justiça do Reino

A Bíbla fala também sobre o jejum, do abster-se de comer o pão. Qual o sentido disto?
Lemos no Profeta Isaías (58,7): “Será este o jejum que eu prefiro: deitar na cinza vestido de saco? Acaso, o jejum que eu prefiro não será isto: acabar com a injustiça, com a opressão, repartir tua comida com quem tem fome?
Eis o sentido do “Pão-Nosso”: a partilha, a justiça, a igualdade, como sinais do Reino que Cristo veio inaugurar. “Venha a nós o vosso Reino”.
Jesus, como “Pão da Vida”, tem tudo a ver com nossa atuação, com nosso amor e doação para construir um Reino mais justo, fraterno e solidário.

Vamos celebrar
Coloquemos o pão e a Bíblia no meio do grupo.
Cada um pode dizer o que mais lhe chamou a atenção nesta reflexão.
Depois, repartamos o pão entre nós e o comamos, ficando alguns instantes em silêncio.
Demo-nos as mãos e rezemos, bem devagar, o Pai-Nosso. Repitamos três vezes a invocação: “O Pão nosso de cada dia nos dai hoje”, lembrando-nos de que Jesus é nosso pão verdadeiro.

Terminemos cantando:

O Pão da Vida, a Comunhão, nos une a Cristo e aos irmãos,
E nos ensina a abrir as mãos para partir, repartir o pão.
1.    Lá no deserto, a multidão, com fome, segue o Bom Pastor.
Com sede, busca a nova Palavra. Jesus tem pena e reparte o pão.
2.    Na Páscoa nova da nova Lei, quando amou-nos até o fim,
Partiu o Pão, disse: “Isto é meu Corpo, por vos doado: Tomais, Comei!”
3.    Onde houve fome, reparte o Pão, e tuas trevas hão de ser luz.
Encontrará Cristo no irmão; serás bendito do Eterno Pai.


Inês Broshuis

 Comissão Arquidiocesana de Catequese de Belo Horizonte