Você está em:

Domingo – Dia da Ressurreição do Senhor

 

 

 

O Domingo é uma instituição cristã que tem suas origens no fato de a ressurreição de Cristo ter acontecido na madrugada posterior ao Sábado Santo. Um dia muito importante para os judeus, mas que foi abolido tempos depois por aqueles que passaram a guardar o Domingo,  colocando-se no seguimento do Cristo Ressuscitado.

Assim, para entender a importância do Domingo para os cristãos, partimos do entendimento do sábado, como dia do Senhor, para os judeus e que, por esse motivo,  traz sua expressões simbólicas: e um lado o sabbat era o dia de repouso consagrado a Javé. Por outro lado,  é o sétimo dia, que o Antigo Testamento apresenta como uma prescrição literal. Já o Novo Testamento mostra o seu cumprimento para o cristão: como o Cristo é o verdadeiro repouso, o cristianismo é o verdadeiro sétimo dia. O sábado é para os judeus, o símbolo da duração sagrada. Ele exprime a consagração do tempo a Deus, como o Templo exprime a a consagração do espaço.

O outro elemento do sabbat é a noção de repouso, mas visto como vivência de uma espiritualidade. Para os judeus era o dia do descanso, mas também, um dia dedicado às orações.  Nesse sentido, era o dia mais importante da semana.

 

Chegado o tempo de Jesus, as interpretações da guarda do sábado já não eram mais a mesmas. Tinha se tornado uma grande confusão, com vários mandamentos e leis, fazendo de sua vivência algo insuportável.

A Superação do sábado com a Ressurreição do Cristo

 

O Novo Testamento marca a superação do sábado porque agora Cristo é a realidade; é o Cristo o verdadeiro repouso. Agora o “cessar de fazer o mal” profetizado pelo profeta Isaías (Is1, 16) somente se realiza em Jesus Cristo. Nesse sentido, o sabbat fora abolido e realizado no Cristo ressuscitado, e a ressurreição de Cristo tinha uma comemoração visível: o domingo, dia em que nossa vida foi elevada pelo Cristo e por sua morte. O domingo é o dia da comemoração da ressurreição de Jesus Cristo, sacramento de sua presença no meio dos seus, profecia de sua segunda vinda.

Para nós, cristãos, o domingo, o oitavo dia, dia de descanso, passa a ser o primeiro dia da semana, dia consagrado ao culto divino, dia no qual Cristo venceu a morte e ressuscitou. A partir desse dia e, em todos os domingos seguintes até hoje, a Igreja tem a tradição de se reunir e celebrar o Dia do Senhor, da Ressurreição,  do aniversário da segunda criação.

Em Cristo, todas as coisas se renovam! Assim, o domingo é um dia de origem cristã que tem suas origens no dia da Ressurreição de Jesus Cristo. Um dia que, na liturgia cristã, tem seu lugar preponderante. Houve a passagem do “sétimo dia” para o “oitavo dia” que é lida como a passagem simbólica da Lei, ao Evangelho. É no cristianismo e, particularmente na liturgia cristã, que podemos dizer que o oitavo dia tornou-se símbolo de salvação. E com a experiência do primeiro dia da Ressurreição continuamos celebrando, buscando as coisas do alto e recordando a graça que nos foi dada.

Que nessa Páscoa possamos ir ao encontro do Ressuscitado e anunciar a todos que ele está vivo no meio de nós.

Uma Feliz Páscoa para todos nós.

 

Neuza Silveira de Souza

Coordenadora da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de BH