Você está em:

Dom Antônio Viçoso é declarado Servo de Deus, pelo Papa Francisco

O Papa Francisco autorizou a promulgação do decreto em que consta a declaração das virtudes heroicas do Servo de Deus dom Antonio Ferreira Viçoso, que foi bispo da arquidiocese de Mariana (MG) de 1844 a 1875. A decisão do Papa foi anunciada no dia 8, durante audiência com o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato.

Com a autorização do Papa, dom Viçoso recebe o título de venerável, sendo necessário para a beatificação, portanto, a aprovação de um milagre, o que já é analisado pelos peritos da Congregação da Santa Sé.

Em maio, o papa autorizou o início do processo de beatificação de outro arcebispo de Mariana, dom Luciano Mendes de Almeida, que governou a Igreja particular de 1988 a 2006, quando faleceu aos 75 anos. Os dois bispos encontram-se enterrados na cripta da Catedral da Arquidiocese.

Dom Viçoso

Dom Antonio Ferreira Viçoso nasceu em Peniche, Portugal, no ano de 1787. Na Congregação da Missão, foi ordenado sacerdote em 1818 e chegou ao Brasil no ano seguinte, com 32 anos de idade. Antes do episcopado, abriu o Colégio do Caraça, em Minas Gerais, onde pregou em diversas missões nos povoados. Também atuou na educação da juventude. Durante 15 anos esteve Jacuecanga, entorno de Angra dos Reis (RJ).

Em 1837, retornou a Minas e foi eleito superior geral dos Lazaristas. Sua ordenação episcopal aconteceu em 1844, no Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro.

Em Mariana (MG), onde esteve à frente da Arquidiocese por 29 anos, foi pai extremoso dos pobres e órfãos, protetor dos escravos, abnegado missionário, reformador do clero, defensor dos direitos da Igreja, exemplar devoto da Virgem Maria.

Falecido em 1875, teve seu processo de canonização aberto no mesmo ano, por dom Silvério Gomes Pimenta. 
 

Seu nome está na memória agradecida dos mineiros.