Você está em:

Dízimo Social Empresarial: inclusão social, cidadania e promoção humana

O Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política da Arquidiocese de Belo Horizonte articula projetos e programas de ajuda aos mais pobres por meio de suas pastorais sociais. Promove a aproximação de instituições que buscam a inclusão social, a promoção humana e a cidadania para viabilizar o planejamento de ações ampliadas. 50.000 pessoas já foram beneficiadas.

Por meio do Disempre – Dízimo Social Empresarial, sua empresa também pode ajudar nos projetos do Vicariato. Uma ajuda muito necessária aos mais pobres e vulneráveis.

Projetos:

– Acolhida Solidária Dom Luciano Mendes de Almeida

Ampara e acolhe os mais pobres, em suas necessidades mais emergenciais – oferece atendimento a moradores de rua, pessoas que sofrem com a dependência química, vítimas de violência doméstica. Também organiza campanhas de ajuda humanitária.  

 

– Repúblicas para pessoas em situação de rua

“Moradores são os primeiros colocados em concurso público”

 A República Reviver e a República Professor Fábio Alves dos Santos – serviços de acolhimento a pessoas em situação de rua administrados pela Arquidiocese de BH- têm papel decisivo nas conquistas de dois moradores aprovados em concurso da MGS – Minas Gerais Serviços.

 

Marcelo da Silva Santiago passou em primeiro lugar e Jusair Santos da Silva em vigésimo, na disputa que envolveu milhares de candidatos. O resultado reflete a força e a fé de cada um deles na construção de um sonho: sair das ruas, ganhar autonomia e constituir um lar. Aqui, você pode ler a reportagem completa, publicada em primeira mão pelo Jornal Opinião e Notícias digital da Arquidiocese de  BH.

 

O grande feito desses cidadãos, incentivados pelo ideal cristão de promover o desenvolvimento das pessoas, tomou conta do noticiário em Minas Gerais e em todo o país esta semana. Clique aqui para ver a repercussão desse trabalho. 

 
– Projeto Providência

Com três unidades, o projeto oferece cursos profissionalizantes para adolescentes e jovens de até 23 anos. Anualmente, 1971 crianças, adolescentes e jovens são atendidos. Em abril de 2014, o Projeto ganhou o Prêmio Bom Exemplo na categoria educação. Uma iniciativa da Rede Globo e da Fundação Dom Cabral, a premiação tem o objetivo de destacar ações sociais que contribuem para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

– Vila Fátima

Localizado em uma das regiões mais pobres da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Justinópolis, em Ribeirão das Neves, o Projeto Vila Fátima promove ações socioeducativas para 184 jovens, beneficiando ainda 148 pessoas de suas famílias e outros moradores da comunidade.

– Pastoral Carcerária

Criada na década de 1980, conta com aproximadamente 250 voluntários. A Pastoral acompanha cerca de 10 mil encarcerados por ano e realiza 100 atendimentos jurídicos por mês. Tem como missão desenvolver a cidadania dos presos, seus familiares e egressos do sistema prisional. O principal objetivo é colaborar para a garantia dos direitos humanos e da reinserção social dos detentos.

– Casa de Apoio Nossa Senhora da Conceição

Desde a inauguração, mais de 3.500 pessoas foram atendidas, entre residentes e a população que frequenta a Casa em busca de orientação psicológica e fisioterápica. Abriga, atualmente, 40 pessoas com HIV. Oferece salas para atendimento médico e psicológico, fornece seis refeições diárias e os internos passam por uma reeducação alimentar.

– Fundação Obras Sociais Nossa Senhora da Boa Viagem (Fonsbem)

Reúne quatro iniciativas: Lar Frei Leopoldo, Casa Santa Zita, Obra do Berço e a Farmácia Comunitária Nossa Senhora da Boa Viagem. A Casa Santa Zita, primeira obra da Fundação, completou 61 anos em 2015.

– Pastoral de Rua

Promove ações de integração de todos que vivem nas ruas. O objetivo é ter uma atuação mais próxima “de quem está em situação de rua”, com criação de vínculos duradouros, que possam melhorar a qualidade de vida de quem tem as ruas e avenidas de Belo Horizonte como moradia.

– Núcleo de Acolhida e Articulação da Solidariedade Paroquial

Cada paróquia, gradativamente, irá receber um Núcleo de Acolhida e Articulação da Solidariedade Paroquial. Esses Núcleos oferecerão amparo aos mais pobres, nas vilas, bairros e periferias de BH e de sua região metropolitana. Trabalhando em rede, poderão encaminhar todas as pessoas que precisam de ajuda para os muitos serviços oferecidos nas comunidades de fé da Arquidiocese de Belo Horizonte.